Entre Janeiro e Junho, as vendas de automóveis zero emissões registaram um forte crescimento na Europa, de que a nova geração do Nissan Leaf tirou o devido proveito: foram entregues a clientes mais de 18.000 unidades do eléctrico nipónico, o que o coloca na liderança do ranking de vendas no acumulado do 1º semestre. Significa isto que o automóvel eléctrico mais vendido no planeta conseguiu, finalmente, destronar o rival francês Renault Zoe, nas preferências dos consumidores europeus.

Considerado o “Automóvel Ambiental Mundial do Ano 2018” no Salão Automóvel Internacional de Nova Iorque e merecedor de cinco estrelas no capítulo da segurança, na Europa e no Japão, o novo Leaf destaca-se por ter introduzido, nesta sua segunda geração, tecnologias como o e-Pedal e as funcionalidades de condução autónoma ProPilot e ProPilot Park. Se o e-Pedal – nome dado ao pedal do acelerador cujo curso permite ao condutor controlar o veículo, acelerando, desacelerando, travando ou mantendo-o imobilizado – é de série, o mesmo não acontece com o ProPilot. Contudo, isso não impediu 72% dos compradores do novo Leaf de terem optado por este sistema apoio à condução semiautónoma, de acordo com informações avançadas pela própria Nissan.

A bateria de 40kWh oferece ao eléctrico japonês uma autonomia de 270 quilómetros em ciclo combinado, segundo a nova norma europeia de emissões e consumos WLTP. Entre nós, o Leaf é proposto por valores que se iniciam nos 32.400€. Já o conduzimos e deixamos-lhe aqui as nossas impressões.