A polícia inglesa já terá identificado os alegados autores do ataque ao ex-espião russo Sergei Skripal com o agente químico Novichok, através de imagens de câmaras de videovigilância. De acordo com a agência de notícias britânica Press Association, citada pelo The Guardian e a Sky News, as autoridades acreditam que os suspeitos são russos e que o ataque foi perpetrado por mais do que um autor.

Uma fonte próxima da investigação revelou à Press Association: “Os investigadores acreditam que identificaram os suspeitos do  ataque com Novichok através da CCTV [sistema de videovigilância] e cruzaram a informação com o registo de pessoas que entraram no país nessa altura. Eles [os investigadores] têm a certeza de que eles [os suspeitos] são russos“. Para já, a Scotland Yard, que lidera a investigação, recusa-se a comentar esta informação.

A polícia, segundo revela a Sky News, terá analisado 5 mil horas de imagens de videovigilância da área onde viviam os Skripal e também de imagens do aeroporto de Heathrow, em Londres.

A informação consta também da investigação que decorre sobre a morte de Dawn Sturgess, 44 anos, que morreu no início de julho oito dias depois de entrar em contacto com o agente nervoso. A polícia acredita que o agente que matou Sturgess e deixou gravemente ferido o seu parceiro, Charlie Rowley, é do mesmo lote daquele que foi utilizado com o Sergei Skripal e a sua filha Yulia.

Novichok. Agente nervoso encontrado em garrafa de perfume

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os investigadores acreditam que a substância estava num frasco de perfume abandonado que foi encontrado pelo casal num parque ou num outro lugar no centro da cidade de Salisbury e que Sturgess terá pulverizado Novichok diretamente na sua pele. O frasco foi encontrado na casa de Rowley, em Amesbury.