O presidente da Comissão Europeia de hóquei em patins (CERH), Fernando Graça, revelou este domingo que o próximo Europeu, em 2020, vai ter duas divisões, a primeira com os seis primeiros classificados do campeonato da Europa de 2018.

Em entrevista ao sítio oficial do organismo na Internet, o português revelou as medidas a tomar, após o fim do presente campeonato europeu, na Corunha, em Espanha, que termina hoje com a final entre Portugal e Espanha, às 18h30 (hora de Lisboa).

“O campeonato em curso está intenso agora. Na primeira fase, havia uma grande diferença de qualidade e experiência das equipas. Queremos muito que as equipas cresçam competindo, mas é importante pensar em mudar os regulamentos, porque não é bom quando equipas coma a Bélgica ou a Holanda entram a sofrer goleadas como sofreram”, referiu.

A solução vai passar por criar dois grupos com as 12 equipas que jogam na Europa, os “seis melhores no campeonato Europeu e as outras seis no campeonato ‘challenge'”, procurando criar incentivos às equipas que não têm formação, como a Holanda e a Bélgica, depois de um diálogo que resultou em fazer “um programa de desenvolvimento nestes países”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“O nosso apoio não pode ser de natureza financeira, mas pode ser, por exemplo, lançarmos um mini-hóquei num determinado país, darmos os patins, ‘sticks’ e adaptação às balizas. Queremos também colocar técnicos que vão formar novos técnicos e seguir um projeto, avaliando-o de seis em seis meses, caso haja alguma mudança ou uma ajuda suplementar que podemos fornecer a esses países”, explicou.

O presidente fez também um balanço dos últimos seis anos, quando tomou conta do comité, falando de “uma evolução importante”, na qual destacou as competições de sub-17, nas quais “nunca houve menos de nove equipas a competir”.