Um atirador alvejou 16 pessoas que estavam num restaurante de Toronto, este domingo. Duas das vítimas morreram e outras 13 ficaram feridas, informou a polícia local via Twitter. O atirador foi morto depois de abrir fogo contra a polícia, acrescentou o chefe de polícia, Marke Saunders.

Todos os feridos, com idades entre os dez e 59 anos, foram levados para o hospital. Uma menina de 10 anos e uma jovem de 18 não resistiram aos ferimentos. Apesar de não especificar o número, o chefe de polícia admitiu numa conferência de imprensa que existem feridos em estado grave. O detetive que lidera as investigações, Terry Browne, avançou que algumas das vítimas sofreram “ferimentos que alteram a vida”.

Browne afirmou que uma segunda pessoa foi detida e a polícia está a aguardar o mandato para poder iniciar as buscas domiciliarias na sua residência. As autoridades não adiantam mais informações sobre a investigação, que dizem estar ainda no início.

O tiroteio teve lugar por volta das 22 horas de domingo (3 horas em Lisboa), tendo a polícia sido avisada de imediato. Segundo o jornal Toronto Star, algumas testemunhas disseram que ouviram entre 15 e 20 tiros e viram vários feridos deitados no chão de um restaurante. As autoridades não adiantam as eventuais motivações ou outros dados do atirador.

Na conferência de imprensa, o detetive Browne sublinhou que este foi um “incidente muito muito rápido”. Destacou também a resposta rápida das autoridades que diz, impediu um incidente de maior dimensão.

Este vídeo gravado por uma testemunha e publicado no Twitter mostra o suspeito a passar em frente a um restaurante, pegando de seguida numa arma e começando a disparar indiscriminadamente.

Outras testemunhas publicaram alguns vídeos onde se podem ouvir os disparos. “A minha noite estava a correr bem até ouvir um tiroteio mesmo junto à minha casa, em Danforth”, lê-se neste post.

Jessica Young, uma funcionária de um restaurante, disse ao Toronto Star ter visto o atacante: “Olhei para o meu lado e vi o atirador pela janela. Ele viu-me a mim ou ao meu colega de trabalho e apontou a arma pela janela”, disse, acrescentando que o suspeito levava um “chapéu preto e roupas escuras”.

O “Premier” de Ontário (líder da província), Doug Ford, lamentou o incidente através do Twitter e classificou-o como um “ato horrível de violência armada em Toronto”, sublinhando que os seus pensamentos estão com as vítimas e os seus entes queridos.

A polícia está a pedir às testemunhas e residentes do local que enviem todo o tipo de gravações ou fotografias que tenham, de forma a conseguirem avançar na investigação.

O local do incidente permanece encerrada enquanto as equipas forenses analisam a área. O chefe da polícia anunciou um reforço no patrulhamento policial na área.

Toronto foi recentemente palco de um aumento na violência armada, principalmente por gangues. Desde o início do ano, a cidade registou 212 tiroteios que mataram 26 pessoas, em comparação com os 188 tiroteios e as 17 mortes por arma de fogo no mesmo período do ano passado.