O Governo da Guiné-Bissau fixou as datas de 23 de agosto a 23 de setembro para o recenseamento de eleitores e reafirmou a sua determinação em realizar eleições legislativas no dia 18 de novembro.

Em comunicado a que a Lusa teve esta segunda-feira acesso, a ministra da Administração Territorial, Ester Fernandes, adiantou que os locais e os horários do recenseamento eleitoral serão oportunamente anunciados, através dos órgãos de comunicação social.

Em conselho de ministros, o executivo liderado por Aristides Gomes decidiu proceder ao registo biométrico de novos eleitores e dar-lhes um recibo que será substituído no momento da entrega dos cartões no GTAPE (Gabinete Técnico de Apoio ao Processo Eleitoral) em Bissau e nas regiões.

Ao invés de cartões de eleitorais em plástico PVC (policloreto de polivinila) o Governo guineense decidiu emitir cartões laminados. A Comissão Nacional de Eleições (CNE) projeta registar cerca de um milhão de novos eleitores.

Um conselho de ministros especial foi marcado para esta segunda-feira, tendo como pano de fundo ultimar as questões técnicas sobre o recenseamento eleitoral e sobretudo decidir como proceder para aquisição de equipamentos do registo, indicou a Lusa fonte governamental.

A reunião vai decidir se o Governo aluga a uma empresa especializada ou pede emprestado os equipamentos do recenseamento eleitoral a Portugal, Timor-Leste ou a Nigéria.