A polícia britânica prendeu esta segunda-feira três homens suspeitos de terem atacado um menino de três anos com ácido, na tarde de sábado em Worcester, no Reino Unido. Os suspeitos foram detidos por suspeita de conspiração para cometer o crime de ofensas corporais e têm 22, 25 e 26 anos, disse a polícia de West Mercia em comunicado.

O ataque teve lugar num supermercado e foi, desde o início, tratado como uma “ação deliberada contra a criança”, avançaram as autoridades. O menino de três anos estava num carrinho com a família, quando uma substância corrosiva foi “atirada ou pulverizada” sobre ele. A vítima foi transportada para o hospital com queimaduras graves no rosto e no braço, tendo já sido levada para casa. “Não temos a certeza sobre as implicações a longo prazo destas queimaduras, mas esperamos que não sejam ferimentos que mudem a vida da criança”, acrescentou a polícia.

No sábado as autoridades divulgaram uma fotografia de três homens, afirmando que gostariam de falar com eles, pois “podem ter informação vital para a investigação”, tendo em conta “a sua proximidade relativamente à criança” no momento do ataque. Ainda não foi confirmado se os três detidos correspondem aos mesmos da imagem partilhada. O detetive Tony Garner fez ainda um pedido no comunicado enviado esta segunda-feira: “Continuamos a pedir que qualquer pessoa que tenha informações para nos contactar”. As causas do ataque ainda não são conhecidas.

A Polícia de West Mercia divulgou uma imagem de três homens no supermercado, dizendo que poderiam ter “informação vital para a investigação”.

Ainda no sábado, um homem de 39 anos, de Wolverhampton, também foi detido no âmbito do ataque e mantido sob custódia policial.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O presidente da câmara municipal de Worcester, Marc Bayliss, descreveu à BBC o ataque como um ato de “pura maldade”. “Worcester não é o tipo de lugar [onde esse tipo de ataque ocorre], somos uma típica cidadezinha inglesa”, acrescentou, citado pela agência Lusa.

O Reino Unido tem enfrentado um aumento no número de ataques com ácido nos últimos anos, particularmente em Londres, tendo um dos mais elevados índices de ataques com ácido do mundo, com cerca de 400 ataques registados no país entre novembro de 2016 e abril de 2017. O Ministério do Interior anunciou em abril que pretende reforçar a legislação, tornando a detenção de substâncias corrosivas em locais públicos uma ofensa criminal e proibindo a venda dessas substâncias a menores.