O presidente Donald Trump está a ponderar anular as autorizações de segurança para de ex-agentes de segurança nacional que serviram a administração de Obama, por o terem criticado por causa das relações com a Rússia. A informação foi dada pela porta-voz da Casa Branca.

Sarah Huckabee Sanders afirmou que esta possibilidade está em cima da mesa porque esses funcionários “politizaram e, em alguns casos, monetizaram (tirar proveito financeiro) o seu serviço público” e fizeram alegações infundadas sobre o relacionamento do presidente norte-americano com o governo russo.

O facto de as pessoas que têm autorizações de segurança oficiais estarem a fazer essas acusações dá legitimidade inadequada a acusações com zero evidência”, afirmou a porta-voz.

Entre os oficiais que estão a ser investigados estão os antigos diretores da CIA John Brennan e Michael V. Hayden; o ex-diretor do FBI, James B. Comey; a ex-conselheira de segurança nacional Susan E. Rice; o antigo diretor de inteligência nacional James R. Clapper Jr. e o ex-vice diretor do FBI Andrew McCabe.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O senador Rand Paul planeia reunir com Trump na segunda-feira para lhe pedir que revogue a habilitação de segurança do ex-diretor da CIA John Brennan, que criticou duramente o presidente norte-americano em várias questões, nomeadamente relacionadas com a Rússia, lê-se no Washington Post. Brennan usou a palavra “traição” para descrever o desempenho de Trump durante a cimeira com Vladimir Putin em Helsínquia.

Segundo o New York Times, as autorizações de segurança permitem que ex-funcionários trabalhem em programas confidenciais e prestem assessoria a empresas e, por vezes a agências governamentais.