As pessoas mais próximas da família real britânica, que surgem nos documentários que invadem as televisões um pouco por todo o mundo sempre que há um casamento, um aniversário da morte de Diana ou se celebra mais um ano do reinado da rainha Isabel II, têm todas a mesma opinião: Harry, o filho mais novo de Carlos e Diana, é o neto preferido da rainha de Inglaterra. E talvez seja por isso que Isabel II decidiu oferecer-lhe – e a Meghan Markle, com quem o príncipe casou em maio – não uma, mas duas casas.

Há dois meses, na altura do casamento real, o Palácio de Kensington anunciou que a rainha tinha oferecido aos noivos o chalé de York, na propriedade real em Sandringham, como prenda de casamento. Agora, ainda que sem confirmação oficial, surge a notícia de que Isabel II terá oferecido mais uma casa aos recém-casados.

O chalé Adelaide foi construído por William IV em 1831

De acordo com o The Daily Mail, a rainha ofereceu a Harry e Meghan o chalé Adelaide, que fica dentro da propriedade do Castelo de Windsor, onde os Duques de Sussex se casaram no dia 19 de maio. Segundo o jornal inglês, o casal – que até agora está a viver no chalé Nottingham, no Palácio de Kensington – já visitou a propriedade e deve mudar-se em breve.

O chalé Adelaide fica no lado leste da propriedade que inclui o Castelo de Windsor, a menos de três quilómetros do local onde Harry e Meghan se casaram. De acordo com a Harper’s Bazaar, a casa fica muito perto dos apartamentos privados da rainha e do príncipe Philip. O chalé tem o nome de Adelaide de Saxe-Meiningen, esposa de William IV, rei do Reino Unido e da Irlanda, que em 1831 construiu para ela este retiro em Windsor.

Vista aérea da propriedade real que inclui o Castelo de Windsor

Em 1945, o chalé começou a servir de residência ao capitão Peter Townsend, que tinha uma relação extraconjugal com a princesa Margarida, a única irmã da rainha Isabel II. Townsend separou-se da mulher em 1952 mas nunca casou com a princesa Margarida, já que a irmã da rainha teria de abdicar de todos os direitos reais devido ao facto de o capitão ser divorciado. Mais recentemente, viveu no chalé Simon Rhodes, filho de Margaret Rhodes, prima direita da rainha.

O chalé tem a categoria de especial interesse arquitetónico e histórico: é considerado de alto interesse nacional, é protegido pela lei e não pode ser demolido. A casa está pormenorizadamente decorada e o local de maior luxo é o quarto principal, com golfinhos dourados pintados no teto, ornamentos de cordas de um iate do século XIX e um lareira de mármore greco-egípcia. A casa foi totalmente restaurada em 2015.