Imagens de satélite da base norte-coreana de Sohae, publicadas pelo grupo de monitorização norte-americano 38 North, mostram a pista de lançamento de mísseis a ser desmantelada. A medida do regime de Kim Jon Un vai ao encontro do compromisso feito com o presidente americano, Donald Trump, na cimeira de Singapura.

Donald Trump afirmou que o líder coreano tinha prometido destruir uma das bases de testes de lançamentos, durante o encontro que os reuniu em junho, sem especificar qual.

Porque acreditamos que estas instalações terão tido um papel importante no desenvolvimento de tecnologia para o programa norte-coreano de mísseis balísticos intercontinentais, estes esforços representam uma medida significativa para a criação de confiança por parte da Coreia do Norte”, afirmou um membro do 38 North, Joseph Bermudez.

O acordo tinha sido criticado por ser “inconclusivo” sobre quando e como Pyongyang viria a desnuclearizar a península da Coreia.

No entanto, o presidente americano, Donald Trump, afirmou estar “muito feliz” sobre o progresso das relações com a Coreia do Norte. “Um míssil não é disparado pela Coreia do Norte há nove meses”, pode ler-se no tweet de Trump, “o Japão está feliz, toda a Ásia está feliz”.

O diretor da Federação de Cientistas Americanos, Adam Mount, afirmou em declarações à CNN que, apesar de serem passos “encorajadores”, não são um passo significativo “no sentido do desarmamento ou de restrições militares significativas”.