A Liga Muçulmana do Paquistão (PML-N), do ex-primeiro-ministro Nawaz Sharif, recusou os resultados das eleições legislativas realizadas esta quarta-feira, ainda antes do anúncio oficial dos primeiros escrutínios. Os resultados provisórios dão uma vitória do Pakistan Tehreek-e-Insaf (PTI), liderado pela ex-estrela de críquete Imran Khan.

“Recusamos os resultados”, proclamou em conferência de imprensa realizada em Lahore o presidente da PML-N e irmão de Nawaz, Shahbaz Sharif. O dirigente político denunciou que os seus representantes foram expulsos de assembleias eleitorais durante a contagem dos votos e que não chegaram a receber uma cópia da ata com o resultado final de cada local de voto.

Cerca de 105 milhões de eleitores estavam inscritos para participar no escrutínio, realizado após uma campanha eleitoral em clima de instabilidade política e económica, crescentes conflitos religiosos e a ameaça do terrorismo. O grupo ‘jihadista’ reivindicou o ataque conduzido por um bombista suicida perto de uma assembleia de voto na cidade de Quetta, que causou pelo menos 31 mortos.