Empresas

Empresas com maiores dificuldades na contratação de trabalhadores em 2017

Entre os domínios em análise no inquérito do INE, as empresas identificaram os maiores obstáculos, à semelhança do registado em 2014, no sistema judicial, nos licenciamentos e no sistema fiscal.

WU HONG/EPA

Autor
  • Agência Lusa

As empresas demonstraram que em 2017 tiveram maiores dificuldades na contratação de trabalhadores e no acesso a técnicos qualificados do que em 2014, segundo o Inquérito aos Custos de Contexto divulgado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

O inquérito divulgado esta sexta-feira, com referência a 2017, compara com a primeira edição, com dados de 2014 e publicada pelo INE em 2015. Assim, em 2017, o indicador global de custos de contexto, que agrega nove domínios, registou um valor intermédio de 3,05 pontos numa escala de 1 a 5, semelhante ao registado em 2014.

Entre os domínios em análise, as empresas identificaram os maiores obstáculos, à semelhança do registado em 2014, no sistema judicial, nos licenciamentos e no sistema fiscal. No domínio dos recursos humanos foi, no entanto, onde se registou o maior aumento entre 2014 e 2017, 0,17 pontos, refletindo principalmente dificuldades na contratação de trabalhadores (0,28 pontos) e no acesso a técnicos qualificados (0,23 pontos).

Por setor de atividade, o setor do alojamento e restauração continuou a apresentar o indicador mais elevado (3,16), apesar da diminuição face a 2014 (de 0,05 pontos).

Por dimensão, as empresas de pequena e média dimensão continuaram a ser aquelas que apresentaram o indicador mais elevado, 3,09 pontos (0,02 que em 2014), enquanto as de micro dimensão percecionaram níveis de custos de contexto mais baixos (2,94 em 2017, menos 0,4 pontos do que em 2014).

Em 2017, no conjunto dos custos associados ao cumprimento das obrigações de informação, 88,5% foi suportado com meios da própria empresa e 13,5% determinado pela subcontratação de terceiros. A prestação e entrega de informação empresarial e fiscal registou o maior peso no custo médio anual com o cumprimento das obrigações de informação (37,5%), seguida das licenças, certidões, autorizações ou permissões (23,2%).

O Inquérito aos Custos de Contexto pretende conhecer a perceção das empresas relativamente à existência, evolução e impacto dos custos de contexto na sua atividade económica. Entendem-se como custos de contexto, os efeitos negativos decorrentes de regras, procedimentos, ações e/ou omissões que prejudicam a atividade das empresas e que não são imputáveis ao investidor, ao negócio ou à organização, explica o INE.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)