O FC Porto, da I Liga portuguesa de futebol, empatou este sábado a zero frente aos ingleses do Newcastle, no jogo de apresentação da equipa aos seus associados. Os “dragões” foram dominadores, mas perdulários na finalização.

Frente a um dos mais exigentes adversários desta pré-temporada, do primeiro escalão do futebol inglês, os campeões portugueses acabaram por somar o primeiro empate, num conjunto dos oito jogos de preparação realizados.

Depois de cinco vitórias, frente a Sporting de Espinho (4-0), Varzim (8-0), Académica (3-0), Everton (1-0) e Farense (2-0), e dois desaires com Lille e Portimonense, pelo mesmo resultado (2-1), os ‘dragões’ cederam este nulo, naquele que foi o ensaio geral antes do arranque da competição oficial.

FC Porto - Newcastle, 0-0

Mostrar Esconder

FC Porto: Casillas, Maxi Pereira, Felipe, Diogo Leite, Alex Telles, Otávio, Herrera, Sérgio Oliveira, Brahimi, Aboubakar e Marega.
Jogaram ainda: Fabiano, Vaná, Corona, Soares, Hernâni, Óliver, João Pedro, Chidozie, Adrián López, Bruno Costa, André Pereira, Marius

Treinador: Sérgio Conceição.

Newcastle: Dubrávka, DeAndre Yedlin, Ciaran Clark, Jamaal Lascelles, Paul Dummet, Matt Ritchie, Jonjo Shelvey, Mo Diamé, Jacob Murphy, Ayoze Pérez, Joselu.
Jogaram ainda: Javier Manquillo, Ki Sungyeung, Fabian Schar, Jamie Sterry, Callum Roberts, Christian Atsu, Karl Darlow, Adam Armstrong, Sean Longstaff, Isaac Hayden.

Treinador: Rafa Benitez.

 

Árbitro: Ricardo Moreira (AF Porto).

Ação disciplinar: Nada a assinalar.

Assistência: 43.829 espetadores.

 

Neste derradeiro teste, Sérgio Conceição escalonou um ‘onze’ com a base nos jogadores mais utilizados na época passada, e que, tudo indica, estará muito próximo do que utilizará no primeiro jogo ‘a valer’ desta época, na Supertaça, no próximo sábado, frente ao Desportivo das Aves.

O único ‘reforço’ chamado às escolhas iniciais foi o jovem defesa central Diogo Leite, que na época passada alinhava na equipa B dos ‘azuis e brancos’.

Com rotinas bem assimiladas, o FC Porto não demorou a impor um ascendente sobre a formação inglesa, surgindo mais vezes junto à área contrária e protagonizando os primeiros lances de perigo.

Aboubakar foi o homem em destaque nessa fase inicial da partida, criando um par de oportunidades perigosas, que apenas pecaram na finalização.

Ao domínio dos anfitriões, o Newcastle tentava responder em contra-ataque, mas a sua melhor ocasião surgiu num arriscado atraso de Brahimi, em que valeu a antecipação do guarda-redes Iker Casillas a um adversário.

Apesar da insistência, os ‘azuis e brancos’ ainda denotaram uma natural falta de ritmo, dado o início da temporada, o que nem sempre tornou tão fluidas, e incisivas, as movimentações ofensivas.

Acabou por ser num lance de bola parada, que os comandados de Sérgio Conceição tiveram a sua melhor oportunidade, nesta etapa inicial, quando, após um canto cobrado por Alex Telles, Sérgio Oliveira desviou de cabeça, mas viu o lateral direito dos ingleses Yedllin intercetar a bola em cima da linha de golo, mantendo o nulo ao intervalo.

Após o descanso, o treinador do FC Porto começou a alterar a equipa, lançando, numa primeira fase Soares e Corona, que contribuíram para uma das melhores fases da equipa portuguesa no desafio.

Aos 55 minutos, Sérgio Oliveira esteve, de novo, em destaque, desta feita na cobrança de um livre devolvido pelo poste, e em que Marega, na recarga, atirou para defesa do guarda-redes Dubravka.

O guardião dos ingleses esteve destaque, pouco depois, a desviar um remate de Soares, que, na recarga, viu também o poste desviar o esférico.

O Newcastle, bem menos atrevido nas saídas para o contra-ataque neste segundo tempo, teve apenas um remate, de Matt Ritchie, que saiu ao lado, o seu melhor momento.

Apesar de Soares, aos 69, num cabeceamento defendido pelo guarda-redes, ter ameaçado, novamente o golo, as muitas alterações promovidas na fase final partida quebraram o ritmo dos ‘dragões’, que, ainda assim, viram o reforço Marius, na fase final, quase desfazer o nulo, que prevaleceu.