A produção de vinho deverá diminuir cerca de 3% em Portugal, durante a colheita 2018/2019, fixando-se em 6,5 milhões de hectolitros, segundo a previsão de colheita do Instituto do Vinho e da Vinha (IVV) divulgada esta segunda-feira.

A produção de vinho deverá diminuir em Portugal em cerca de 3% face à campanha passada, para um volume na ordem dos 6,5 milhões de hectolitros, muito próximo da média das cinco últimas campanhas”, apontou, em comunicado, o IVV.

Em causa, estão os ataques de míldio (fungo que se desenvolve no interior das folhas da videira) e oídio (fungo que se desenvolve em todos os tecidos verdes da videira), potenciados pelas condições meteorológicas verificadas ao longo da campanha.

A previsão aponta uma quebra de produção em todas as regiões, com especial destaque para as regiões das Terras da Beira e das Terras do Dão, nas quais é expectável uma descida superior a 20%.

No sentido inverso, apesar de não revelar valores, o instituto adiantou que no Alentejo, Algarve e Açores é expectável um aumento “sustentado” por um “bom desenvolvimento” vegetativo das videiras. Por sua vez, no Douro, é esperada uma produção equivalente à da campanha passada.