É este o fim de um ciclo? Duas das “tenentes” que há mais tempo servem a Vogue norte-americana estão de saída, avança o The New York Times. Tonne Goodman, diretora de moda, e Phyllis Posnick, editora executiva de moda, vão deixar os respetivos cargos para serem editoras colaboradoras. Quer isto dizer que saem dos quadros da empresa para se tornarem freelancers. Depois de muitos rumores nesse sentido, Anna Wintour finalmente confirmou aos seus colaboradores a “saída” de dois dos grandes talentos da publicação.

Os rumores começaram a circular a 13 de julho, depois de um artigo publicado na Business of Fashion. Mas as movimentações internas não se ficam por aqui: Lisa Love, diretora da revista em Los Angeles, e uma das principais organizadoras da famosa Met Gala, vai passar a trabalhar com a CNX, a agência criativa da Condé Nast.

O The New York Times acrescenta que o grupo Condé Nast, que detém títulos como The New Yorker, Vanity Fair e GQ, está a criar redações multidisciplinares, capazes de trabalhar em diferentes revistas, bem como a movimentar colaboradores com salários altos e dispendiosos para posições freelancer. As mudanças nas equipas editoriais da revista há muito que têm sido tema de conversa. Quantas vezes foi noticiada a saída de Anna Wintour, a mítica e histórica diretora da Vogue norte-americana, cargo que detém há 30 anos?

11 coisas que pode não saber sobre a imperatriz da moda

Apesar de o grupo Condé Nast, do qual é diretora artística desde 2013, negar categoricamente a saída de Anna Wintour, parece não existir um fim à vista para tamanha especulação. No mesmo dia que o The New York Times assegura a “saída” de três grandes nomes da revista, o The Huffington Post escreve, segundo fontes não identificadas, que Beyoncé estará na capa da famosa edição de setembro, a qual poderá ser a última com o selo Wintour. Consta que à cantora norte-americana terá sido dado controlo sem precedentes sobre a futura edição, algo que não condiz com o perfil de trabalho de Anna Wintour.

https://twitter.com/BAAB_Media/status/1024064395394117632

Segundo este meio, a publicação está contratualmente obrigada a entregar controlo absoluto a Beyoncé, que escolheu um fotógrafo afro-americano para registar a imagem de capa — o primeiro a fazê-lo nos 126 anos de história da publicação. O controlo estende-se às fotografias disponibilizadas no interior da revista e também às legendas. A informação é avançada por duas fontes que estão “familiarizadas” com o acordo entre a Vogue e a cantora, que não estão autorizadas a falar à imprensa.

O The Huffington Post assegura que Wintour sempre teve uma mão pesada sobre a Bíblia da moda. Controla de tal forma as suas edições mensais que é conhecida por escolher os looks das modelos que figuram na capa. O meio escreve ainda que esta poderá ser a última edição de setembro de Wintour — representantes da Vogue recusaram-se a comentar este artigo em particular.

Depois de 30 anos, Anna Wintour pode estar de saída da Vogue

Em abril deste ano era a vez de a publicação Page Six noticiar a possível saída de Anna Wintour da Vogue, uma informação que não está completamente desatualizada. A este meio várias fontes disseram que Wintour deixaria a revista nos próximos meses, mais precisamente no verão, depois do casamento da filha, Bee Schaffer.