Começou uma caça ao homem depois de dois ladrões terem entrado na Catedral de Strängnäs, no sul da Suécia, e roubado duas coroas do século XVIII que pertenciam aos rei Carlos IX e à rainha Cristina, fugindo logo de seguida num barco a motor no Lago Mälaren.

“Estamos à procura em todas as direções”, disse o porta-voz da polícia de Estocolmo, Thomas Agnevik. As autoridades, que desconfiam que o roubo tenha sido planeado, dizem ter recolhido imagens de segurança onde se pode ver duas pessoas a sair da igreja e a entrar para um barco que estava atracado nas imediações.

As duas coroas de ouro, decoradas com pedras preciosas e pérolas, fazem parte do traje fúnebre do rei Carlos IX — falecido em 1611 — e da mulher, a rainha Christina, que morreu 14 anos depois, e estavam numa exposição na catedral, guardados com sistema de segurança e alarme.

Sobre o seu valor Thomas Agnevik disse apenas que “É impossível dizer quanto valem. São inestimáveis e de interesse nacional”.

Não é, no entanto, a primeira vez que este tipo de artefactos são roubados na Suécia. Uma série de roubos entre a década de 90 e 2014 em que um individuo espanhol roubou várias esculturas e crucifixos de igrejas suecas, que vendia no estrangeiro.

Em 2013, uma coroa e o centro de um traje fúnebre do rei Johan III foram roubados em Västeras, em circunstâncias semelhantes. Os objetos foram, no entanto, encontrados em sacos de lixo à beira da estrada, depois de uma denúncia anónima.