O autor intelectual dos atentados que atingiram a Catalunha, nas cidades de Barcelona e Cambrils, a 17 de agosto de 2017, ainda está à solta na Europa. A notícia é do jornal catalão El Periódico, que cita fontes da investigação que referem que o terrorista se encontrava “numa cidade do centro da Europa” à altura do ataque.

Além disso, adiantaram as mesmas fontes, o terrorista em questão, cujo nome, nacionalidade e outros detalhes biográficos não são divulgados, circula entre vários países europeus e “continua em contacto com outros grupos” extremistas.

O cérebro dos ataques que mataram 16 pessoas (entre as quais duas portuguesas, neta e avó) e feriram outras 140 terá atuado sempre à distância daqueles atentados. Mais próximo, no local, estiveram Younes Aboyaaqoub (responsável por atropelar fatalmente 16 pessoas na Rambla, avenida do centro de Barcelona) e outros cinco terroristas  que entraram numa troca de tiros com a polícia em Cambrils.

Avó e neta eram de Sintra e tinham acabado de chegar a Barcelona

Os terroristas foram todos apoiados pelo imã da cidade catalã Ripoll, Abdelbaki Es Satty, que atuou como cabecilha da célula que levou a cabo o atentado — mas que, ao contrário do qe se chegou a pensar à altura, não foi o autor intelectual do atentado.

Abdelbaki Es Satty: o imã que esteve preso e que pode ser o líder da célula terrorista da Catalunha