Ordem dos Enfermeiros

Ordem dos Enfermeiros convoca sindicatos para avaliar greve convocada

A greve Sob a forma de "paralisação total e com abandono do local de trabalho" foi convocada pelo Sindicato Independente Profissionais de Enfermagem e pelo Sindicato dos Enfermeiros na sexta-feira.

Inácio Rosa/LUSA

A Ordem dos Enfermeiros “convidou todos os sindicatos a sentarem-se à mesa” para avaliar os motivos para avançar com a greve agendada para 13 a 17 de agosto, afirmou esta quinta-feira a bastonária dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco.

“Como foi apenas convocada [a greve] por dois dos sindicatos e existem mais, o que nós fizemos foi convidar todos os sindicatos do setor a sentarem-se à mesa, na Ordem [dos Enfermeiros], na próxima segunda-feira”, disse a bastonária à saída de uma reunião com o Conselho de Administração do Hospital de Cascais, no distrito de Lisboa.

A greve entre os dias 13 e 17 de agosto sob a forma de “paralisação total e com abandono do local de trabalho” foi convocada pelo Sindicato Independente Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE), na sexta-feira. De acordo com a bastonária “há motivos para fazer greve”, mas é necessário perceber se as negociações com o Ministério da Saúde estão a falhar.

“Do que sabemos está a existir uma mesa conjunta negocial, que era uma coisa que a Ordem [dos Enfermeiros] pedia há muito tempo, com todos os sindicatos. Não sabemos se a negociação está a ser bem sucedida ou não. Queremos saber do ponto de vista do regulador se está, ou não, a haver avanços do ponto de vista da negociação da carreira e se todos os sindicatos têm vontade de ir para a greve”, afirmou.

De acordo com o comunicado divulgado pelas duas estruturas sindicais, os sindicatos protestam nomeadamente pela não conclusão de um acordo coletivo de trabalho que contemple, entre outras matérias, a categoria de enfermeiro especialista, e reivindicam que “o Estado deve aos enfermeiros 13 anos, 7 meses e 25 dias nas progressões”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)