Santiago do Cacém ultrapassou este sábado o limite de ozono que obriga a um alerta à população, já que o poluente pode provocar danos à saúde, depois de já terem sido atingidos níveis elevados na sexta-feira na mesma zona.

Segundo um comunicado da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, a ultrapassagem do limiar de alerta do ozono registou-se na estação de qualidade do ar de Monte Velho este sábado às 13h00, prevendo-se que a situação se mantenha pelo menos até às 19h00.

Os valores registados foram de 275 microgramas por metro cúbico. Na sexta-feira, Santiago do Cacém, no distrito de Setúbal, tinha atingido uma concentração de ozono de 196 microgramas por metro cúbico, ultrapassando o limiar de informação ao público.

Este sábado, os valores são mais altos e ultrapassam os níveis de alerta. A legislação estabelece um limite de alerta de 240 microgramas e um limiar de informação ao público de 180.

Para os valores de concentração observados este sábado naquela zona, o ozono pode provocar danos na saúde, especialmente em pessoas mais sensíveis, como os idosos, crianças, asmáticos ou pessoas com doenças respiratórias ou cardíacas.

“A exposição a este poluente afeta, essencialmente, as mucosas oculares e respiratórias, podendo o seu efeito manifestar-se através de sintomas como tosse, dores de cabeça, dores no peito, falta de ar e irritações oculares”, refere a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo.

Reduzir ao mínimo a atividade física intensa ao ar livre, evitar fumar e respeitar os tratamentos médicos em curso são os principais conselhos.