A Organização Mundial de Saúde (OMS) confirmou, esta sexta-feira um total de 43 casos de ébola (13 confirmados e 30 prováveis) e 33 mortes. Há ainda 33 casos que estão à espera de confirmação laboratorial. Há três profissionais de saúde que foram infetados, um dos quais já morreu.

A Organização Mundial de Saúde alertou que o novo surto deste vírus mortal na província de Kivu do Norte coloca desafios específicos, por ser considerada uma “zona de guerra” com diversos grupos armados ativos e milhares de civis deslocados.

A proximidade da cidade de Beni e o intenso tráfego fronteiriço com o Uganda e o Ruanda também complicam os esforços para conter a doença, que se propaga através do contacto dos fluídos corporais dos infetados, incluindo os que morreram.

A República Democrática do Congo anunciou o surgimento desta nova epidemia na quarta-feira com quatro casos confirmados, uma semana após ter declarado o fim de um anterior surto no noroeste com 33 mortes.

Ainda não é claro se existe uma relação entre o novo surto, que surgiu a 2.500 quilómetros de distância, com o anterior.

Um rápido processo de vacinação de mais de 3.300 pessoas contribuiu para conter o anterior surto, e a OMS está a tentar perceber qual a estirpe desde vírus que voltou a eclodir, e se poderão ser utilizados o mesmo tipo de vacinas.

Atualizado a 6 de agosto com dados do número de mortos

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR