A Opel passou a fazer parte do Grupo PSA há um ano e não quis deixar de assinalar esta mudança na sua história com um vislumbre daquilo que se poderá esperar da marca, em termos estilísticos, nos próximos tempos. Fá-lo com protótipo cuja frente foi parcialmente desvendada pelo CEO da marca germânica, Michael Lohscheller.

Anunciámos recentemente os resultados financeiros do primeiro semestre, que revelam lucro operacional de 502 milhões de euros, margem operacional de 5% e free cash flow operacional em torno de 1,2 mil milhões de euros. E agora estou particularmente orgulhoso de levantar um pouco o véu sobre o GT X Experimental. Este protótipo espelha, com confiança, os valores da nossa marca. Engenharia alemã, precisão e qualidade, surgirão acompanhadas de ideias inovadoras e emocionantes. O GT X Experimental incorpora tudo isso”, diz Lohscheller.

Com apresentação (completa) prometida ainda para este ano, o GT X Experimental revela as linhas que darão corpo à frente dos novos Opel, a ser lançados a meio da década de 2020. Dois eixos principais intersectam o logótipo da marca ao centro da grelha, sobressaindo na vertical o vinco central do capot do motor e, na horizontal, a assinatura em forma de asa das luzes diurnas. Um único elemento, cujo desenho se inspira na viseira de um capacete de moto, enquadra os faróis, as luzes diurnas, as câmaras e os sensores dos sistemas de assistência à condução, bem como o logótipo da Opel. Recebe a denominação de “Vizor” e constituirá um dos principais traços distintivos das futuras criações do fabricante de Rüsselsheim, cuja nova filosofia de design pretende transmitir os valores da Opel: “uma marca alemã, acessível e emocionante”.