Finanças

Taxa de países em ‘default’ em 2017 foi quatro vezes maior que a média desde 1983

O número de países em incumprimento financeiro ('default') no ano passado, entre os quais Moçambique, foi quatro vezes maior do que a média registada desde 1983.

EPA

O número de países em incumprimento financeiro (‘default’) no ano passado, entre os quais Moçambique, foi quatro vezes maior do que a média registada desde 1983, disse esta segunda-feira a agência de notação financeira Moody’s.

Quatro governos entraram em incumprimento financeiro em 2017, representando 15,2 mil milhões de dólares de dívida“, escreveram os analistas da agência de ‘rating’, precisando que a República do Congo, Moçambique, Venezuela e Belize foram os países que causaram uma subida da média de ‘defaults’ para 3,1% no ano passado, “quatro vezes mais que a média anual de incumprimentos entre 1983 e 2017”.

Os incumprimentos foram causados “pela materialização do aperto nas condições financeiras nas balanças de pagamento soberanas, aumento da dívida pública e dificuldades na balança de pagamentos como resultado de uma descida dramática do preço dos petróleo entre 2014 e 2016, e por riscos políticos específicos dos países”, escreveu Elena Duggar, uma diretora da Moody’s, numa nota a que a Lusa teve acesso.

Para este e o próximo ano, a Moody’s antecipa que os principais fatores de risco na avaliação dos créditos soberanos estarão ligados “ao crescimento global, restrições nas condições financeiras globais e crescimento dos riscos políticos”, salientando que “a maior percentagem de Perspetivas de Evolução Positivas e Estáveis em meados de 2018 reflete a melhoria na análise dos riscos de crédito”. No entanto, vincaram, “a sustentabilidade da dívida deteriorou-se fortemente nalguns países no fundo da escala de ‘rating'”.

A Moody’s antecipa que “o crescimento mundial vá abrandar no final de 2018 e em 2019 à medida que as economias mais avançadas se aproximam do pleno emprego, que os custos de financiamento aumentam e que as condições de crédito se restringem”, concluiu Elena Duggar.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Partidos e Movimentos

Seja bem-vinda, "Iniciativa Liberal"

Mário Pinto

Saudamos o Manifesto da Iniciativa Liberal, mesmo não partilhando muitas das suas propostas. Saudamos em especial a defesa do princípio da subsidiariedade, base para a "democratização da democracia".

Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Venezuela

Um objeto imóvel encontra uma força imparável

António Pinto de Mesquita

Num dos restaurantes mais trendy de Madrid ouve-se o ranger de um Ferrari que para à porta. Dele sai um rapaz novo, vestido com a última moda. Pergunta-se quem é. “É filho de um general venezuelano”.

Enfermeiros

Elogio da Enfermagem

Luís Coelho
323

Muitos pensam que um enfermeiro não passa de um "pseudo-médico" frustrado. Tomara que as "frustrações" fossem assim, deste modo de dar o corpo ao manifesto para que o corpo do "outro" possa prevalecer

Poupança

O capital liberta

André Abrantes Amaral

É do ataque constante ao capital que advêm as empresas descapitalizadas, as famílias endividadas e um Estado sujeito a três resgates internacionais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)