António Costa

António Costa diz que declarações sobre incêndios foram “descontextualizadas”

2.077

António Costa garantiu, numa nota enviada à comunicação social, que as declarações proferidas esta quarta-feira sobre os incêndios em Monchique foram "descontextualizadas e deturpadas".

ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa garantiu, numa nota enviada à comunicação social, que as declarações proferidas esta quarta-feira sobre os incêndios em Monchique, no final da deslocação à Autoridade Nacional da Proteção Civil, foram “descontextualizadas e deturpadas”.

O primeiro-ministro não só não procurou desdramatizar ou desvalorizar a gravidade da situação em Monchique como disse, pelo contrário, que a situação era alarmante e ia agravar-se“, pode ler-se na nota enviada pelo gabinete do primeiro-ministro.

Nesse sentido, o primeiro-ministro considera que as suas declarações, nas quais diz que o incêndio de Monchique é “a exceção que confirmou a regra do sucesso da operação” foram “descontextualizadas e deturpadas”.

“Também é falso que as palavras do primeiro-ministro tenham sido para elogiar as políticas de prevenção promovidas pelo governo. O primeiro-ministro elogiou, sim, todos os portugueses, pelo esforço de limpeza feito ao longo do ano e pela contenção de comportamentos de risco. As primeiras palavras foram, aliás, dirigidas às populações, em segundo lugar aos agentes de proteção civil e em terceiro lugar aos autarcas, nunca se tendo referido à atuação do governo”, pode ainda ler-se.

A nota refere ainda que António Costa considera que “é cedo para fazer quaisquer balanços dos incêndios”, visto que o verão “começou tardio e também de forma atípica”. O chefe de governo sublinha também que “é absolutamente prioritário é assegurar a proteção da vida das pessoas, reiterando uma palavra de solidariedade para com as pessoas afetadas com os incêndios”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PS

De novo, a propaganda socialista a chegar ao fim /premium

João Marques de Almeida
673

Uma certeza temos em relação aos governos do PS: está tudo a correr muito bem até ao dia em que começa tudo a correr muito mal. É quando a “política de comunicação” se torna curta para tanta realidade

Política

A protecção da família em Portugal

Luiz Cabral de Moncada

A família, enquanto célula principal da sociedade e berço da moral, como bem se sabe na Calábria, está mais garantida do que nunca. Nunca será esquecida pelos partidos quando no poder político.

Segurança Social

Não tinha de ser assim /premium

Helena Matos
363

Em 1974, politicamente bloqueado, o país aguardava que os militares tratassem do assunto. O assunto era o Ultramar. Em 2019, o país está bloqueado de novo. O assunto chama-se Estado Social.

Administração Pública

A (Des)orientação ao Cidadão

Carlos Hernandez Jerónimo

Não basta produzir plataformas e sistemas mesmo que em co-criação com o cidadão, que apenas ligam dois pontos em linha reta e que ao mínimo desvio empurram o cidadão para o balcão e a fila de espera. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)