António Vitorino

António Vitorino renuncia a cargos na EDP

Em 31 de julho, já havia renunciado ao cargo de vogal no Conselho de Administração do Santander. Em junho, António Vitorino foi eleito diretor da Organização Internacional das Migrações.

NUNO ANDRÉ FERREIRA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O advogado António Vitorino renunciou ao cargo de presidente da mesa da assembleia-geral da EDP e de membro do Conselho Geral e de Supervisão, anunciou esta quinta-feira ao mercado a energética.

A EDP — Energias de Portugal vem informar o mercado e o público em geral de que o Dr. António Manuel de Carvalho Ferreira Vitorino apresentou a sua renúncia ao cargo de presidente da mesa da assembleia geral e, por inerência estatuária, de membro do Conselho Geral e de Supervisão da EDP”, lê-se no comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Em 31 de julho, o antigo eurodeputado já havia renunciado ao cargo de vogal no Conselho de Administração do Banco Santander Totta. Em 29 de junho, António Vitorino foi eleito diretor-geral da Organização Internacional das Migrações (OIM) por aclamação.

O candidato português venceu as três primeiras rondas de votação, tendo passado à quarta com a candidata costa-riquenha, Laura Thompson.

Natural de Lisboa, António Vitorino, 61 anos, desempenhou também funções como deputado socialista, advogado, consultor empresarial, professor e comentador.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Greve

O povo é quem mais ordena e a CGTP está fora /premium

André Abrantes Amaral

Quando os motoristas de matérias perigosas param o país e não se revêem na CGTP é a própria Concertação Social que está posta em causa, o que revela o quanto a geringonça distorceu esta democracia.

Eleições Espanha 2015

Sombras da guerra civil /premium

Manuel Villaverde Cabral

Não se espera uma nova guerra civil mas não são de afastar enfrentamentos de vários géneros, incluindo físicos, apesar da pertença comum à União Europeia, cujos inimigos em contrapartida rejubilarão!

25 de Abril

O Governo Ensombrado vai ao circo

Manuel Castelo-Branco
143

Se hoje é possível um programa como o Governo Sombra, foi porque o Copcon de Otelo não vingou. Porque apesar de serem “apenas” 17 vítimas mortais, as FP25 foram desmanteladas e os seus membros presos.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)