Governo Regional da Madeira

Governo da Madeira critica “negligência” do executivo quanto a ligações da Binter

O governante social-democrata madeirense referiu que o ajuste direto feito à transportadora espanhola para esta linha "acabou na quarta-feira".

CARLOS FERNANDEZ/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O presidente do Governo da Madeira considerou esta sexta-feira a situação do cancelamento de voos da Binter “desastrosa”, criticando a “postura negligente” do executivo da República, que “não acerta uma” e é “um desastre completo”.

A situação é desastrosa, porque penso que mais uma vez o Governo da República foi negligente, visto que abriu concurso [concessão da linha aérea Madeira/Porto Santo] muito tarde”, disse Miguel Albuquerque à margem da abertura da Festa do Peixe Espada Preto, na cidade de Câmara de Lobos.

O governante social-democrata madeirense referiu que o ajuste direto feito à transportadora espanhola para esta linha “acabou na quarta-feira”.

Penso que a companhia sem um contrato na mão estava relutante em voar neste momento”, argumentou, considerando que esta situação é “desastrosa” e provocou o cancelamento de 12 voos entre as ilhas da Madeira e Porto Santa nos últimos dias.

Miguel Albuquerque salientou que os passageiros não são atendidos no aeroporto e “ninguém comunica nada a ninguém, o que é uma vergonha”

O chefe do executivo insular realçou que, na passada quarta-feira, o Governo da Madeira enviou uma carta ao ministro das Infraestruturas, solicitando informações sobre as condições do contrato em causa, mas “ainda não obteve resposta”.

“Segundo parece o contrato está no Tribunal de Contas”, complementou, opinando que “ninguém sabe o que é que se está a passar, o que é mais uma vez uma demonstração de como este Governo trata a Região Autónoma da Madeira”.

O líder insular destacou a importância desta ligação aérea para a população das duas ilhas do arquipélago, vincando que o concurso da concessão desta linha “foi aberto tarde e a mal horas, depois de ter sido prorrogado o prazo”.

Este ajuste direto acabou, ninguém fez nada porque a Madeira não existe, parece uma ficção, não há cidadãos aqui a viver, não precisam de ir de uma ilha para outra”, declarou Miguel Albuquerque.

No seu entender, esta é uma situação “caricata”, porque existe uma “companhia a voar sem contrato”. Por isso, o Governo da República tem de “assumir responsabilidades e rapidamente para resolver a situação”

“Já temos 12 voos cancelados, isto é uma situação inaceitável”, realçou, censurando ainda a forma como os passageiros afetados pelos cancelamentos são tratados. Miguel Albuquerque concluiu: “Já não basta a TAP. Este Governo não acerta uma. É um desastre completo”.

Na abertura da Festa do Peixe Espada Preto, uma das iguarias da gastronomia madeirenses, que decorre este fim de semana na cidade de Câmara de Lobos, o presidente do Governo Regional ainda anunciou que, no próximo ano, o executivo prevê criar uma “linha de crédito, bonificada” na ordem dos 500 mil euros destinada à renovação da frota pesqueira.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)