Rádio Observador

CP

Évora protesta contra substituição de comboios Intercidades por automotoras

205

A posição, divulgada esta segunda-feira pelo município, está expressa num voto de protesto pela "deterioração do serviço ferroviário entre Lisboa e Évora", aprovada na reunião do executivo.

ESTELA SILVA/LUSA

A Câmara de Évora protestou hoje contra a “deterioração” do serviço de transporte ferroviário Intercidades entre a cidade e Lisboa, por supostamente a CP estar a substituir os comboios normais por automotoras mais antigas.

A posição, divulgada esta segunda-feira pelo município, está expressa num voto de protesto pela “deterioração do serviço ferroviário entre Lisboa e Évora”, aprovado, por unanimidade, na mais recente reunião pública do executivo municipal e enviado à CP – Comboios de Portugal.

Contactado pela agência Lusa, o vice-presidente da Câmara de Évora, João Rodrigues (CDU), justificou o voto de protesto por a CP estar a trocar “os comboios que habitualmente fazem o serviço Intercidades por automotoras que não têm as mesmas condições”. “Os utentes estão a pagar um serviço”, que é o Intercidades, mas “não estão a ser servidos convenientemente”, porque “o transporte que é utilizado não é aquele que foi prometido e que as pessoas estão a pagar”, referiu.

A atual situação, sublinhou o autarca alentejano, “prejudica as pessoas”, porque “a viagem demora mais tempo e as condições de conforto são piores”, pelo que “a câmara não podia deixar de protestar junto da CP”.

A empresa “dizia, no início, que ia restabelecer” o Intercidades com os comboios que habitualmente faziam esse serviço, notou, indicando que isso não aconteceu e que “continuaram a prestar o mesmo tipo de serviço” nas automotoras.

João Rodrigues assinalou que têm chegado à câmara municipal, por parte dos utentes, informações sobre a forma como a CP está a efetuar o serviço Intercidades entre Évora e Lisboa. “Ainda pensámos” que a utilização das automotoras no serviço Intercidades fosse “uma coisa temporária”, durante “um dia ou dois, por existir qualquer problema”, mas “parece que é para continuar”, disse.

No voto de protesto, o executivo municipal, de maioria CDU, considera que o serviço público Intercidades que liga Évora a Lisboa “está a penalizar os utentes habituais daquele serviço, bem como todos os que querem usar o comboio”.

“Nesta época alta, sublinha-se que se está a prestar um mau serviço ao turismo, quando é notório que Évora, cidade Património da Humanidade, é um dos mais procurados destinos turísticos no interior”, pode ler-se no documento.

Os autarcas de Évora apelam, por isso, à CP e ao Governo para que “encontrem, com urgência, soluções que reponham os níveis de qualidade do serviço Intercidades” e nota que “às palavras de preocupação e apoio ao interior devem corresponder atos e práticas consentâneas”. O executivo municipal de Évora é composto por quatro eleitos da CDU, dois do PS e um do PSD.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)