O WhatsApp está em constante mudança: depois da funcionalidade que permite apagar mensagens enviadas, depois do aumento da idade mínima de utilização, depois das ainda mais recentes chamadas de vídeo a quatro, chega agora outra novidade. Ainda que esta, muito provavelmente, não vá agradar a toda a gente. A alteração vem complementar uma vertente anunciada apenas em abril, o WhatsApp Business, a versão da aplicação para empresas, e acabar com a gratuitidade universal do serviço.

As empresas que utilizarem o WhatsApp Business vão começar a pagar por cada mensagem enviada aos clientes. Dependendo do país, cada mensagem vai custar entre 0,5 e 0,9 dólares – algo como 4 a 7 cêntimos – e as empresas vão ainda pagar multas se demorarem mais de 24 horas a responder aos clientes.

Ainda que o objetivo do WhatsApp seja “agilizar a comunicação das empresas”, fica cada vez mais patente a intenção da aplicação de obter rentabilidade com as mensagens enviadas. A aplicação é utilizada por 2.000 milhões de pessoas no mundo inteiro e três mil empresas já demonstraram interesse no modelo Business.

Como funciona o WhatsApp Business

A ideia da vertente empresarial do WhatsApp é aproximar e facilitar a comunicação entre as empresas e os clientes. Entre os serviços encontram-se, por exemplo, o envio de bilhetes para concertos, espetáculos ou voos comprados online ou até o estado de uma entrega que vai chegar pelo correio: ao invés de receber um email, recebemos apenas uma mensagem no WhatsApp.

O The Verge explica que no WhatsApp Business é possível criar um perfil empresarial e incluir o site da empresa, o local da sede e os contactos. Brevemente as empresas serão diferenciadas enquanto “contas verificadas” – algo que já acontece no Facebook e no Instagram – para garantir uma maior credibilidade, ainda que não se saiba se esse serviço vai ser previamente pago.

A funcionalidade permite ainda às empresas a possibilidade de enviar mensagens automáticas e aceder a estatísticas para perceber o impacto da aplicação nos seus clientes.