Moçambique atingiu cerca de 1.2 mil milhões de dólares (mil milhões de euros) em exportações no primeiro semestre de 2018, contra 977 milhões de dólares (859 milhões de euros) do mesmo período do ano passado, informou esta terça-feira a porta-voz do Governo moçambicano.

“De um modo geral, constatamos que o desempenho da economia moçambicana é positivo, tendo em conta estes indicadores macroeconómicos”, disse Ana Comoana, falando após uma sessão ordinária que analisou o desempenho económico de Moçambique no primeiro semestre do ano.

De acordo com a porta-voz do Conselho de Ministros de Moçambique, o Produtos Interno Bruto (PIB) registou um crescimento de 3,2 % no primeiro semestre deste ano, contra 3% de igual período de 2017. No mesmo período, acrescentou a porta-voz do Governo, as importações atingiram cerca de 1.4 mil milhões de dólares (1.2 mil milhões de euros), contra cerca de 1.3 mil milhões de dólares (1.1 mil milhões de euros) do mesmo período de 2017.

“As reservas líquidas disponíveis cobrem 7,2 meses, contra a cobertura de 5,3 meses de igual período de 2017 para a importação de bens e serviços não fatoriais, excluindo aqui as transações dos grandes projetos”, declarou a porta-voz do Governo moçambicano.

A taxa de inflação média anual foi de 6,59 % abaixo da previsão inicial de 11% para o presente ano e da inflação média anual África subsaariana, que foi de 7,7 %, acrescentou a porta-voz.

As receitas arrecadadas pelo Governo atingiram 100 mil milhões de meticais (1.5 mil milhões de euros), contra 85 mil milhões de meticais (1.2 mil milhões de euros) de igual período de 2017, afirmou a porta-voz do Governo. As despesas foram orçadas em 119 mil milhões de meticais (1.7 mil milhões de euros), o correspondente a 39,6% do orçamento anual.

A porta-voz do Governo moçambicano aponta a manutenção da paz e estabilidade como um dos principais fatores que garantiram “estes resultados positivos”, além da consolidação fiscal do país.