A Casa Branca considerou esta quarta-feira “lamentáveis” as sanções económicas anunciadas pela Turquia em resposta às impostas pelos Estados Unidos, que novamente apelaram para a libertação imediata do pastor norte-americano Andrew Brunson.

“As tarifas aduaneiras da Turquia são com certeza lamentáveis e um passo na direção errada. As tarifas aduaneiras impostas pelos Estados Unidos à Turquia derivam de interesses de segurança nacional. As deles são uma represália”, declarou a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

A porta-voz lamentou igualmente que a Turquia tenha tratado de forma “muito injusta, muito maldosa” o pastor Brunson, de quem disse “ser uma pessoa muito boa e um cristão fervoroso que nada fez de mal”.

Acrescentou ainda que as taxas aduaneiras impostas pelos Estados Unidos ao aço turco se manterão mesmo em caso de libertação do religioso.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Inquirida sobre o impacto das tensões entre Washington e Ancara na lira turca, Sanders respondeu que os Estados Unidos estão a “acompanhar a situação”.

“Os problemas económicos da Turquia são fruto de uma tendência de longo prazo, algo por que ela é responsável e não o resultado de qualquer ação dos Estados Unidos”, afirmou.