Pelo menos 24 pessoas morreram na terça-feira perto da cidade de Quito, no Equador, num acidente de viação, depois de um autocarro ter embatido num jipe, informaram as autoridades.

Lamentamos o terrível acidente na estrada Pifo-Papallacta, que matou 24 pessoas até agora”, disse o prefeito de Quito, Mauricio Rodas.

Segundo o último balanço oficial, o acidente também feriu 22 pessoas, a maioria colombianas, informou o secretário de Segurança de Quito, Juan Zapata.

O autocarro, propriedade de uma empresa colombiana, deixou a cidade de Neiva, na Colômbia, na terça-feira, e dirigia-se a Quito numa via considerada de alto risco por causa das descidas íngremes e curvas acentuadas, quando atingiu um jipe, a cerca de trinta quilómetros a leste da capital equatoriana.

O Ministério dos Transportes da Colômbia indicou que não era permitido ao veículo fornecer serviços de turismo internacional.  Por sua vez, o presidente do Equador, Lenin Moreno, denunciou na rede social Twitter “sérios erros no controlo da entrada e na circulação do autocarro”.

Moreno chegou a ordenar a demissão de dois polícias de trânsito e de “toda a cadeia de comando que não exercia controlo adequado”, anunciando o fortalecimento dos bloqueios nas estradas e a instalação de radares “em todo o território nacional”. O Presidente colombiano, Ivan Duque, já expressou publicamente a sua “tristeza” e solidariedade.

O acidente ocorreu dois dias depois de um outro acidente que envolveu um autocarro que transportava adeptos do Barcelona Sporting Club, a equipa de futebol mais popular do Equador, ter resultado na morte 12 pessoas e causado ferimentos em outras 30.

Os acidentes de viação são uma das principais causas de morte no Equador, que regista em média sete mortos e 80 feridos por dia, segundo o observatório Justicia Vial.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR