O festival O Sol da Caparica, “marcado pela diversidade”, regressa ao parque urbano da Costa da Caparica, em Almada, para a sua quinta edição, entre esta quinta-feira e domingo.

Este ano, o cartaz “percorre a distância considerável entre o fado e o rock, a kizomba e o r&’, a canção de recorte clássico e o hip-hop”, fazendo deste um festival “mesmo para todos”, de acordo com a organização.

No primeiro dia, destaca-se o nome de Jorge Palma, com um concerto “íntimo e especial recheado de grandes canções”. Nesse dia, irão atuar também Filipe Catto, Carminho, Silva, Linda Martini, Peste & Sida, Anselmo Ralph, Virgul, Calema, Paus e Deejay Kamala.

Na sexta-feira, será a vez de atuarem Frankie Chavez, UHF, GNR, Miguel Araújo, Djodje, Moullinex e uma “embaixada do ‘hip-hop nacional'”, composta por Piruka, Jimmy P, Bispo, Deau e os Wet Bed Gang.

O terceiro dia fica marcado por “mil e uma paisagens musicais”, com Expensive Soul, Amor Electro, Sara Tavares, Rodrigo Leão, Ana Bacalhau, João Gil, Carolina Deslandes, Via, April Ivy, a Orquestra Bamba Social com Tiago e os DJ Rich & Mendes.

Este dia inclui ainda uma homenagem à cantora Cesária Évora, que morreu em 2001, considerada localmente como o “expoente máximo” da música cabo-verdiana. Lucibela, Lura, Nancy Vieira, Élida Almeida ou Teófilo Chantre darão voz aos maiores clássicos da Diva Descalça. No domingo, o festival tem “encontro marcado com o futuro”, com um dia dedicado às crianças. O cartaz inclui ainda os espetáculos “As Canções da Maria”, de Maria Vasconcelos, Rita Guerra a interpretar músicas dos filmes da Disney, e a estreia de “O Gato Pintor”, projeto que junta Manuel Paulo e João Monge.

Além disso, nesse dia haverá “duas dezenas de ‘países’ de animação que as crianças poderão carimbar nos seus passaportes”, incluindo a exibição de filmes, oficinas de percussão e construção de marionetas de papel, um parque de insufláveis e exposições.

Este ano, a organização vai aproveitar uma nova estrutura permanente do parque urbano da Costa da Caparica, o Anfiteatro, que irá acolher espetáculos nos quatro dias do festival. Nos primeiros três dias, sempre às 17h30, será dada “voz aos poetas”, com o Poetry Ensemble, projeto satélite da Lisbon Poetry Orchestra. Por este palco irão passar ainda Monstra, Tim Tim por Tim Tum, Trio de Percussão, Drumming, Mimos e PorBatuka.

Na 5.ª edição, volta a haver “uma quadra de ‘street skate’, com muitas atividades”, e um palco dedicado à dança, cuja programação “terá uma ligação com a lusofonia característica do festival”. No espaço “Debaixo da Língua” haverá conversas com artistas, debates e declamação de poesia.

No recinto estarão expostas duas peças do artista Bordalo II, que cria esculturas feitas com recurso a lixo e desperdícios.