O fabricante automóvel alemão Daimler vai chamar às suas oficinas mais de um milhão de veículos, devido a uma suspeita do Governo federal relacionada com um sistema incluido nos carros para manipular as emissões de gases poluentes, afetando praticamente todas as classes, noticiou o semanário alemão Der Spiegel. O jornal teve acesso a uma lista do gabinete federal de veículos a motor da Alemanha que contempla 24 modelos — alguns dos quais ainda à venda — que receberam uma ordem para fazerem uma revisão.

No total, a Daimler – cuja marca mais conhecida é a Mercedes-Benz – pediu para serem levados a fazer revisão 280 mil carros na Alemanha e 700 mil no resto da Europa.

A lista abrange, nomeadamente, o modelo a diesel mais pequeno com motor Renault dos Mercedes classe C e o C300 Hybrid com motor Mercedes, vários modelos da classe E e carros comercializados como sendo particularmente ecológicos, com motor híbrido na classe de luxo S, explica o jornal.

Na classe G, foram abrangidos vários automóveis ‘todo o terreno’ como os Mercedes ML, o GLE e o GLC, assim como o ‘coupé’ desportivo CLS e o descapotável SLK.

A Daimler também chamou às oficinas as Vito, a classe V e a Sprinter.

Um porta-voz da Daimler confirmou ao jornal que se trata dos modelos enumerados pelo presidente da empresa, Dieter Zetsche, durante conversações com o Ministério do Transporte.

Acrescentou que o fabricante vai contestar, mas, ao mesmo tempo, vai desenvolver atualizações do ‘software’ e informará os clientes assim que estejam aprovadas.