Desaparecimentos

Encontrado corpo do homem que caiu de mota de água no Gerês

O corpo do homem desapareceu no Gerês, depois de cair de uma mota de água, foi encontrado já sem vida. Com ele, seguia uma mulher que tinha um colete salva-vidas e nadou até à margem.

Informamaispt/Twitter

O homem que desapareceu ao final da tarde de domingo na Albufeira da Caniçada, em Terras de Bouro, no distrito de Braga, foi encontrado por volta das 12h00 desta segunda-feira já sem vida, avança a SIC Notícias que confirmou a informação no local.

O homem — que, segundo o Jornal de Notícias, tinha 44 anos e residia em Negrelos, no concelho de Santo Tirso — circulava na mota de água na Albufeira da Caniçada. Não se conhecem os motivos que levaram ao acidente. Com ele, seguia uma mulher que tinha um colete salva-vidas e nadou cerca de 40 metros até à margem. Algumas testemunhas disseram, em declarações ao mesmo jornal, que o homem não usava colete salva-vidas.

O alerta foi dado às 19h08 e as buscas foram iniciadas às 22h00 de domingo, a partir da Praia da Barca e da Marina de Rio Caldo. Durante a noite, os mergulhadores conseguiram descer a uma profundidade de 22 metros, de acordo com o segundo comandante dos Bombeiros de Terras de Bouro que estava a comandar as buscas, Lino Oliveira, em declarações à SIC Notícias.

As buscas foram canceladas às 3h00 da madrugada devido à visibilidade reduzida e retomadas esta manhã com um reforço dos meios. As equipas realizar as buscas numa “área de 100 metros” e a uma “profundidade de 35 a 40 metros”, explicou Lino Oliveira.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cbranco@observador.pt
Toxicodependência

Salas de chuto: porque não

Isabel Menéres Campos

Num tempo em que as políticas públicas penalizam o consumo de tabaco, álcool, sal e açúcares, é paradoxal esta facilitação e até incentivo do consumo de drogas, quando a toxicodependência é um flagelo

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)