Assinala-se no dia 15 de setembro exatamente uma década desde que o Lehman Brothers declarou falência e espoletou o crash financeiro global que colocou grande parte da Europa sob rígidas políticas de austeridade. E é exatamente nesse dia que centenas de antigos funcionários do banco se vão juntar para uma festa secreta que assinala o 10.º aniversário da falência.

O evento – que vai acontecer em Londres, num local ainda secreto, e foi organizado através de emails – consiste numa festa que junta cerca de 210 antigos funcionários, desde gestores até analistas. O convite, divulgado pelo Financial News, é endereçado aos “Lehman Brothers & Sisters” e refere: “É difícil acreditar que já passaram 10 anos desde o último dos nossos dias no Lehman… uma das melhores coisas do Lehman eram as pessoas. E que melhor maneira de celebrar o 10.º aniversário do que juntar toda a gente outra vez, desde antigos gestores a antigos analistas!”.

Além da primeira festa, em Londres, estão a ser preparadas outras duas: uma em Nova Iorque, em setembro, e outra em Hong Kong, em novembro. A celebração está a ser alvo de várias críticas, principalmente no Reino Unido. John McDonnell, deputado do Partido Trabalhista, apelidou os preparativos de “vergonhosos” e garantiu que as pessoas vão ficar “enojadas com esta reunião inaceitável e altamente inadequada”.

“Isto é absolutamente repugnante depois de as pessoas terem sofrido com a austeridade durante uma década. É particularmente vergonhoso no contexto de todas as pessoas que perderam os empregos e as casas para pagar as cauções destes banqueiros que causaram o crash financeiro. As pessoas vão ficar absolutamente enojadas com esta reunião inaceitável e altamente inadequada”, afirmou John McDonnell.

Já Alistair Darling, ministro das Finanças britânico na altura da queda do Lehman Brothers, considera “ridículo” dizer que a reunião não devia acontecer e defende que muitos dos funcionários do banco são “completamente inocentes”. “Seria ridículo dizer que não se podem encontrar. Honestamente, com todos os problemas que enfrentamos hoje, uma data de pessoas a beber um copo de vinho é o menor deles todos”, sublinhou o deputado do Partido Trabalhista.

Apesar da grande vontade de realizar a reunião, os principais organizadores estão cientes da natureza sensível da festa e estão “muito nervosos”, garante o Financial News. Prova disso é a alteração do local: a festa tinha sido marcada para o clube exclusivo The Conduit, em Mayfair, Londres, mas foi alterada para um local secreto depois de o sítio original ter sido revelado. Se os detalhes do evento voltarem a ser divulgados, o mais provável é que a localização seja novamente alterada.