Espera-se que sejam as pessoas a fazê-lo mas, no parque temático Puy de Fou, em França, são seis gralhas-calvas que estão a ser treinados para apanhar as beatas do chão e colocá-las numa caixa, de forma a manter o local limpo. A ação faz parte de uma campanha educativa para incentivar os visitantes a levarem o lixo consigo.

“Queremos ensinar as pessoas a não deitar o seu lixo ao chão”, disse Nicolas de Villiers, vice-presidente do parque, ao The New York Times, acrescentando que a iniciativa “não pretende apenas a limpeza”, mas quer demonstrar também que “a própria natureza pode ensinar a cuidar do ambiente”. “Às vezes é bom fazer com que as pessoas se sintam um pouco culpadas”, acrescentou o vice-presidente do parque localizado na região ocidental da Vendéia.

Foi Christophe Gaborit quem treinou os seis gralhas-calvas no segundo maior parque temático francês.

Sempre que uma das gralhas-calvas apanha uma beata, os treinadores têm uma recompensa para os pássaros: uma pequena porção de comida. Foi Christophe Gaborit quem treinou as seis aves no segundo maior parque temático francês. O especialista no adestramento de aves de rapina criou uma caixa dividida ao meio onde, de um lado está a comida para as gralhas e do outro lado há um espaço vazio para que as aves possam colocar lá as beatas e outros pedaços de lixo.

E porquê gralhas-calvas? Segundo Nicolas de Villiers trata-se de um “pássaro particularmente inteligente que, quando se encontra em ambiente afetivo, comunica com os humanos e estabelece uma relação com eles através de jogos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Alguns ornitólogos e outros peritos em aves mostram-se céticos quanto à ideia de que os pássaros possam ser treinados para recolher coisas como os humanos. No entanto, as aves criadas em cativeiro têm uma maior possibilidade de o conseguirem fazer.

(texto corrigido às 18h com retificação do nome da espécie de ave de corvo para gralha-calva)