As últimas semanas ficaram marcadas por uma desvalorização recorde da moeda turca. O colapso cambial começa a dar sinais de uma lenta recuperação, mas houve quem, entretanto, tivesse aproveitado para fazer compras em algumas das lojas mais caras do mundo. Marcas como Hermès, Chanel ou Louis Vuitton tiveram filas à porta. A crise monetária chamou sobretudo turistas, interessados em pagar em dólares ou em euros e assim tirar partido da desvalorização da lira.

“Agora, a Turquia é o sítio mais barato do mundo para fazer compras”, afirmou Orhan ao Business of Fashion (BoF), enquanto guardava lugar para um casal chinês na fila à porta da Louis Vuitton, em Istambul. Na mesma rua, no bairro de Nisantasi, relata o BoF, a fila à porta da Chanel traduz-se em meia hora de espera. Uma Classic Chanel Camera Case Bag, marcada a 18.500 liras, custa, por estes dias, 2.877 dólares (2.515 euros) em vez dos 3.700 dólares (3.234 euros) marcados na loja online da marca.

À porta da Louis Vuitton, no bairro de Nisantasi, em Istambul, turistas fazem fila. Querem tirar partido da desvalorização da lira. Ao pagarem em dólares, reduzem até 25% o preço dos produtos de luxo © YASIN AKGUL/AFP/Getty Images

Desde o início do ano, a lira já desvalorizou mais de 40% em relação ao dólar. Perante a crise, o próprio presidente turco, Reçep Tayip Erdogan, aconselhou a população a captar os dólares trazidos pelos visitantes. “Vocês já são muito hospitaleiros, mantenham-se assim, sejam ainda mais. Numa altura em que há pessoas a levar dólares, eles estão a trazê-los”, discursou o presidente, há pouco mais de uma semana.

Na corrida às lojas de luxo, predominam clientes asiáticos e do Médio Oriente. “Estamos a comprar roupa, maquilhagem, grandes marcas. Os preços estão muito baixos”, referiu Fatima Ali, citada pela Reuters, que viajou do Kuwait com as duas filhas e várias malas vazias, só para fazer compras. Um outro cliente, desta vez egípcio, afirmou ter poupado cerca de 1.000 dólares (874 euros) por ter feito compras em Istambul e não no seu país.