A Google removeu 58 contas — 39 canais do YouTube, seis utilizadores do Blogger e 13 contas do Google + — por fazerem parte de uma “operação de influência” levada a cabo por uma transmissora estatal do Irão, com o objetivo de espalhar desinformação e semear discórdia entre o público.

Segundo um comunicado divulgado esta quinta-feira pela empresa, os canais do YouTube tiveram um total de 13.466 visualizações nos Estados Unidos, estando as suas contas associadas ao canal do estado (Islamic Republic of Iran Broadcasting – IRIB).

“Os atores incluídos neste tipo de operação de influência violam as nossas políticas, e rapidamente removemos esse conteúdo dos nossos serviços”, disse o vice-presidente para os assuntos gerais da Google. Kent Walker referiu na nota colocada no blog da empresa que as contas partilhavam “conteúdo político em inglês nos EUA”, acrescentando que foram também bloqueados os endereços IP das contas, “para impedir que indivíduos ou entidades no Irão abram contas de publicidade”.

Segundo a Google, a operação está a ser desenvolvida desde janeiro de 2017, e já foram contactados vários legisladores e a polícia.

Nos últimos meses detetamos e bloqueamos tentativas de atores patrocinados pelo Estado em vários países para influenciar campanhas políticas, jornalistas, ativistas e académicos em todo o mundo“, acrescentou a nota enviada pela empresa.

A operação foi feita em trabalho entre a equipa da Google e a FireEye, uma empresa de cibersegurança que, também esta semana, ajudou à eliminação de 652 páginas e grupos no Facebook e 284 no Twitter por ataques de cibesegurança e por operações de manipulação e desinformação, com ligações à Rússia e ao Irão.

Facebook e Twitter baniram redes de desinformação e manipulação com origem na Rússia e Irão

A Google garantiu que enviou esta segunda-feira um email de aviso aos utilizadores que possam ter sido afetados por ataques de phishing – uma técnica que tenta roubar passwords e outras credenciais através de emails enviados para os utilizadores.