As declarações de Washington após um telefonema feito pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que serviu para felicitar o recém-eleito primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, estão a causar um mal-estar entre os dois países.

Washington diz que “levantou a importância de Islamabad tomar medidas decisivas contra todos os terroristas” que operam no país, mas Islamabad disse na quinta-feira que “nenhuma questão relacionada com terroristas no Paquistão” foi levantada.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros do Paquistão classificou a declaração como “factualmente incorreta” e disse que quer que Washington corrija a sua declaração. Por sua vez, a porta-voz do Departamento de Estado, Heather Nauert, descreveu a chamada como “boa” e diz que os Estados Unidos mantêm sua declaração.

Nauert diz que Pompeo expressou vontade de trabalhar com Khan com vista a um relacionamento bilateral produtivo. Os Estados Unidos acusam frequentemente o Paquistão de abrigar combatentes que realizam ataques terroristas no vizinho Afeganistão, uma acusação que Islamabad nega.