As autoridades de saúde de Cabo Verde decidiram manter o plano de contingência sobre o vírus do ébola em vigor, dado o surto que se verifica na República Democrática do Congo (RD Congo), apesar de o país não ter qualquer caso identificado.

Segundo o diretor do Programa Nacional de Luta contra o Paludismo de Cabo Verde, António Moreira, o país não registou casos da doença, nem tão pouco suspeitos.

Apesar disso, e tendo em conta que o novo surto de ébola que já causou 55 mortos na República Democrática do Congo, a cerca de 5.500 quilómetros de Cabo Verde, as autoridades continuam atentas e a doença a preocupar.

“Temos um plano de contingência que ainda está em vigor e todos os procedimentos foram acautelados, nomeadamente o reforço da vigilância dos portos e aeroportos”, disse António Moreira, em declarações à agência Lusa.

Segundo o diretor do Programa Nacional de Luta contra o Paludismo de Cabo Verde, os procedimentos que o país adotou são os definidos nos protocolos e os equipamentos de proteção dos profissionais para manusear casos suspeitos ou doentes foram adquiridos à Organização Mundial da Saúde (OMS).