Os ex-Presidentes dos Estados Unidos Barack Obama, George W. Bush e Bill Clinton consideraram o senador republicano John McCain, que morreu no sábado, um grande político, homem e patriota.

“John McCain e eu fomos membros de gerações diferentes, viemos de contextos completamente diferentes e competimos no nível mais alto da política. Mas compartilhamos uma fidelidade a algo superior: os ideais pelos quais gerações de americanos e imigrantes lutaram, combateram e se sacrificaram”, afirmou Barack Obama, 44.º presidente dos Estados Unidos de 2009 a 2017, que venceu em 2008 a corrida à Casa Branca contra McCain.

“Poucos de nós foram testados da maneira que John foi, ou precisámos mostrar o tipo de coragem que ele demonstrou, declarou Obama. Em 1967 o avião do senador do estado do Arizona foi abatido durante uma missão de bombardeamento no norte do Vietname. John McCain, gravemente ferido com fraturas nos dois braços e no joelho direito, foi detido pelas forças vietnamitas e passou mais de cinco anos como prisioneiro de guerra, até 1973.

“McCain era um homem de profunda convicção e um patriota ao mais alto nível”, declarou George W. Bush.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

43.º presidente, que venceu McCain nas primárias republicanas em 2000, enfatizou ainda que o senador foi um político “com as melhores tradições no país”.

Bill Clinton, 42º presidente dos EUA, lembrou John McCain como um homem que acreditava que “todos cidadãos têm a responsabilidade de fazer alguma coisa pelas liberdades dadas” pela Constituição norte-americana.

“Frequentemente deixava de lado o partidarismo para fazer o que achava melhor para o país”, disse Bill Clinton, que ocupou a presidência norte-americana entre 1993 e 2001. “Ficarei sempre grato pela sua liderança durante os nossos esforços bem-sucedidos para normalizar as relações com o Vietname”, conclui.

O senador republicano norte-americano John McCain morreu no sábado, vítima de um cancro no cérebro, um dia depois da sua família ter anunciado que o senador tinha decidido parar com o tratamento da doença.

Tal como o pai e avô, almirantes de quatro estrelas, John McCain dedicou-se a servir o país: primeiro como piloto de caça e depois como político.

Como político, defendeu o reatamento das relações diplomáticas com o Vietname e opôs-se ferozmente à tortura, denunciando as práticas usadas pelos serviços secretos norte-americanos (CIA) em interrogatórios sob a Presidência de George W. Bush, depois dos atentados terroristas de 11 de setembro de 2001 nos EUA, que levaram à invasão do Iraque, em 2003.