O crescimento económico acelerou ligeiramente no segundo trimestre deste ano entre o grupo de 36 países que compõe a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), graças a uma forte aceleração das economias dos Estados Unidos e do Japão. Alemanha e Reino Unido e Reino Unido também cresceram mais, mas a Itália está a desacelerar.

De acordo com a OCDE, a economia deste grupo terá crescido em média 0,6% no segundo trimestre do ano, em comparação com os três primeiros meses do ano, altura em que havia crescido 0,5%.

A diferença é ligeira e só acontece devido a uma aceleração de duas das maiores economias do mundo. O ritmo de crescimento da economia dos Estados Unidos, a maior do mundo, duplicou no segundo trimestre, para 1% do PIB. Já a economia do Japão, que diminui 0,2% entre janeiro e março, cresceu 0,5% no segundo trimestre do ano.

Na Europa, quase tudo ficou na mesma. O crescimento económico na União Europeia e a zona euro foi, em média, de 0,4%, o mesmo que se havia verificado no primeiro trimestre. Isto acontece mesmo com um crescimento mais robusto, ainda que ligeiramente, da economia alemã, que cresceu 0,5% (mais uma décima que no primeiro trimestre) e da economia do Reino Unido, que cresceu 0,4% (havia crescido 0,2% no primeiro trimestre).

A impedir maiores ganhos estiveram as economias de França e Itália, segunda e terceira maior da zona euro, respetivamente. França voltou a crescer 0,2%, a mesma taxa de crescimento do primeiro trimestre do ano. Itália abrandou de 0,3% para 0,2%.

Portugal, como o Instituto Nacional de Estatística anunciou este mês, cresceu 0,5% no segundo trimestre do ano, uma aceleração, ainda que ligeira, face ao que se havia verificado no primeiro trimestre do ano.