Jerónimo De Sousa

Jerónimo aponta desemprego e salários injustos como causa da emigração

Para Jerónimo de Sousa os emigrantes não vão regressar "só por uma questão de IRS", mas por "garantias de emprego, melhores salários e melhores direitos de combate à precariedade".

MIGUEL A. LOPES/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O secretário-geral do PCP apontou esta segunda-feira a falta de emprego e de “salários justos” como as causas da emigração, rejeitando que tenha sido o nível do IRS a forçar os portugueses a sair do país.

“Aqueles que partiram forçados durante quatro anos, particularmente os jovens, que foram massacrados nos seus direitos, nos seus salários, nos seus vínculos, tiveram que rumar ao estrangeiro, mas não foi por causa do nível do IRS, foi por razões de falta de emprego, por falta de salários justos”, disse à agência Lusa Jerónimo de Sousa, durante uma visita às Festas de Corroios, no Seixal.

No sábado, o secretário-geral do PS e primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Orçamento de Estado para 2019 terá “incentivos fortes” para fazer regressar a Portugal quem emigrou de 2011 a 2015, desde benefícios fiscais a deduções dos custos do regresso. “No próximo Orçamento do Estado iremos propor que todos aqueles que queiram regressar […] fiquem durante três a cinco anos a pagar metade da taxa do IRS que pagariam e podendo deduzir integralmente os custos da reinstalação”, disse António Costa na “Festa de Verão do PS, que decorreu em Caminha.

Para Jerónimo de Sousa os emigrantes não vão regressar “só por uma questão de IRS”, mas por “garantias de emprego, melhores salários e melhores direitos de combate à precariedade”. O dirigente sublinhou ainda que “aqueles que cá ficaram não podem ser penalizados só porque cá ficaram no seu país”.

O líder comunista abordou também a questão do Orçamento para a Cultura que, segundo António Costa, será o “maior de sempre”. “Os trabalhadores da cultura, das artes, reivindicam pelo menos um por cento do Orçamento para que possam cumprir a sua missão de valorização da nossa cultura e é por isso que o anúncio de António Costa tem significado, resta saber se esse avanço é suficiente para dar resposta aos problemas da nossa cultura”, considerou.

“Da nossa parte vamos lutar para que este Orçamento corresponda a um avanço, tendo em conta aquilo que são os anseios de todos aqueles que fazem parte da cultura, do património e da arte”, garantiu.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Salazar /premium

Helena Matos
1.687

Os actuais líderes não têm discurso, têm sim objectivos: manter-se ou chegar ao poder, através da popularidade e não da política. Logo precisam do passado e de Salazar para falarem de política.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)