US Open

US Open. Nadal e Stephens iniciam defesa dos títulos sem surpresas

Rafael Nadal e Sloane Stephens iniciaram na segunda-feira as defesas dos títulos dos US Open, último torneio do Grand Slam de ténis da temporada, com vitórias na primeira ronda.

JASON SZENES/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Rafael Nadal e Sloane Stephens iniciaram na segunda-feira as defesas dos títulos dos US Open, último torneio do Grand Slam de ténis da temporada, com vitórias na primeira ronda. Num duelo entre dois espanhóis e amigos de longa data, no encontro que encerrou a sessão noturna no Arthur Ashe Stadium, Nadal, de 32 anos, levou a melhor diante David Ferrer, que aos 36 anos e a jogar o último ‘major’ da carreira, viu-se obrigado a desistir com uma lesão nos gémeos.

Depois de ter vencido o primeiro ‘set’ por 6-3, o maiorquino e número um mundial estava em desvantagem na segunda partida, por 4-3, quando Ferrer, 148.º do ‘ranking’ e semifinalista do US Open em duas ocasiões (2004 e 2006), se viu obrigado a entregar a qualificação para a segunda ronda. “Este é o meu último Grand Slam da carreira. Lamento não ter conseguido acabar o encontro”, afirmou o tenista de Valência e antigo número três do mundo (2003).

Assegurada a vitória na estreia, o tenista balear, que já venceu cinco títulos esta temporada – em Monte Carlo, Barcelona, Roma, Roland Garros e Toronto – e procura o 18.º ‘major’ da carreira e o quarto em Flushing Meadows, depois das vitórias em 2010, 2013 e 2017, vai defrontar o canadiano Vasek Pospisil que eliminou o polaco Lukas Lacko, por 7-5, 6-3 e 6-2.

Numa jornada sem surpresas de maior, o argentino Juan Martin Del Potro, campeão em Nova Iorque em 2009, também não sentiu dificuldades para afastar o jogador da casa Donald Young, pelos parciais de 6-0, 6-3 e 6-4. O próximo desafio do terceiro cabeça de série será frente ao também norte-americano Denis Kudla, vencedor do confronto com Matteo Berrettini, por 6-4, 7-5 e 6-3.

Já o sul-africano Kevin Anderson, vice-campeão do US Open e quinto cabeça de série, viu-se obrigado a esforços redobrados para eliminar o tenista natural de Los Angeles, Ryan Harrison, 53.º da hierarquia, pelos parciais de 7-6 (7-4), 5-7, 4-6, 6-3 e 6-4, em quatro horas e 14 minutos. Na segunda ronda, o finalista derrotado este ano em Wimbledon vai medir forças com o francês Jeremy Chardy, responsável pela eliminação do russo Andrey Rublev (6-2, 4-6, 6-4 e 6-1).

Na competição feminina, após a surpreendente queda da número um mundial Simona Halep ante Kaia Kenepi, a campeã em título Sloane Stephens precisou apenas de uma hora e 16 minutos para bater a russa Evgenyia Rodina, pelos parciais de 6-1 e 7-5, e marcar encontro com Anhelina Kalinina que viu a adversária Kathinka Von Deichmann desistir, por lesão, quando o encontro estava 1-6, 7-6 (7-0) e 5-2.

Igualmente na metade superior do quadro, a hexacampeã do US Open Serena Williams estreou-se também a vencer. Frente à polaca Magda Linette, a norte-americana, de 36 anos, precisou de apenas uma hora e 10 minutos para triunfar pelos parciais de 6-4 e 6-0, ficando assim a uma vitória de poder defrontar a sua irmã mais velha, Venus Williams (que bateu Svetlana Kuznetsova em três ‘sets’) na terceira ronda do US Open.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)