Cumprindo a agenda, a Renault acaba de desvendar, no Salão de Moscovo, o Arkana – um protótipo daquele que será o seu primeiro SUV Coupé e uma importante arma com que o construtor gaulês planeia atacar a Rússia, o seu segundo maior mercado actualmente, já a partir do próximo ano.

Este lançamento não é de somenos importância para a marca francesa, cujas metas de crescimento internacional passam por atingir, até 2022, um volume de vendas de 5 milhões de unidades. Objectivo para o qual a Renault acredita que o novo Arkana desempenhará um “papel fundamental”, embora não sejam ainda muito claras as intenções da marca em relação ao modelo, pois se por um lado o apresenta como “um produto global”, por outro, faz questão de sublinhar que foi imaginado pelos russos e que foi a pensar especificamente nesse mercado que as equipas de design em França trabalharam…

O resultado mostra-se fiel à linguagem de estilo da marca francesa, com o Arkana a procurar combinar a elegância de um sedan com a robustez de um SUV, em 4,54 metros de comprimento. A linha de tejadilho mais inclinada, ao estilo coupé, conjuga-se com os típicos atributos de um SUV, de uma maior altura ao solo às habituais protecções, aqui em plástico preto, passando pelas generosas jantes de 19 polegadas. Visto de frente, lá está o losango a sobressair da grelha, a assinatura luminosa estilizada em forma de “C” e os faróis afilados a lembrar outros modelos da gama, como o Mégane, o Talisman e até mesmo o Koleos. De lado, uma moldura cromada à volta dos vidros faz sobressair a linha de cintura elevada e o perfil coupé, com o tecto panorâmico a dar uma ajuda em termos de refinamento, sem esquecer que irá contribuir para uma maior luminosidade a bordo. A propósito, não foram reveladas imagens do interior, nem mais dados técnicos, com a promessa apenas de que o Arkana vai disponibilizar versões 4×4 e contar com motorizações “de última geração”, entre as quais um “novo motor para o mercado russo”.

A fábrica que a Renault possuiu em Moscovo arrancará com a produção já para o ano, estando previsto que o Arkana venha a ser fabricado também noutros pontos do globo, até para “suportar” o seu lançamento noutros mercados. Quais é a pergunta sem resposta. A comunicação limita-se a falar da Ásia, sem nenhuma referência concreta à Europa.