Cabo Verde

Cabo Verde já tem aeronave para evacuações, mas ilhas Brava e Santo Antão ficam de fora

A aeronave que irá efetuar evacuações sanitárias em Cabo Verde já está no aeroporto da capital e dali partirá para transportar os doentes entre as ilhas, ficando de fora Brava e Santo Antão.

PAULO NOVAIS/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A aeronave que irá efetuar evacuações sanitárias em Cabo Verde já está no aeroporto da capital e dali partirá para transportar os doentes entre as ilhas, ficando de fora Brava e Santo Antão, por falta de condições.

O aparelho – aeronave turboélice bimotor Jetstream 32 — é alugado a uma empresa portuguesa (Sevenair) através de um contrato que pressupõe o fornecimento do avião, cujos voos serão coordenados pelos serviços da Guarda Costeira.

Durante a apresentação do aparelho aos jornalistas, o major Domingos Correia, comandante da Esquadrilha Aérea da Guarda Costeira, explicou que se trata de um avião “bastante moderno”, preparado para voar a grandes altitudes, precisamente as que são “mais estáveis e confortáveis para o transporte de doentes”. “É um avião muito rápido, ideal para o transporte de ilhas e regionais, que exigem urgência e rapidez”, disse.

Apesar de potente, o aparelho tem uma estrutura de estabilidade, sublinhou o comandante, recordando que este tem uma capacidade para 19 lugares, podendo-se transformar num espaço “mais vip”, para 10 a 12 lugares.

O avião vai ter base no Aeroporto Internacional Nelson Mandela, na cidade da Praia (ilha de Santiago), e voará para as outras ilhas onde sejam necessárias evacuações sanitárias.

Fora do percurso da aeronave ficam as ilhas de Brava e Santo Antão, por não apresentarem condições de segurança para a aterragem do aparelho. “Estamos sempre preparados para satisfazer a nossa população, mas é preciso criar condições”, adiantou o major Domingos Correia, acrescentando que estão em curso trabalhos “para adquirir meios aéreos para a ilha Brava e Santo Antão.

O aparelho Jetstream 32 — que será tripulado por portugueses da empresa a que o mesmo foi alugado — está igualmente preparado para “missões de patrulhamento aéreo e de busca e salvamento”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Imigração

Os imigrantes são nossos

Patrícia Pacheco

As crianças crescem numa época onde ter smartphone ou ténis de marca é quase essencial para a integração no grupo, e a inversão das prioridades num orçamento reduzido é uma realidade destes imigrantes

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)