Para esta renovada edição da Liga dos Campeões, que conta com dois horários de jogo diferentes (17h55 e 20h), houve sortes diferentes para as equipas portuguesas: o FC Porto foi a primeira a sair e calhou no grupo D, com o Lokomotiv Moscovo como cabeça de série — é caso para dizer que saiu o brinde ao dragão – , os alemães do Schalke 04 e os turcos do Galatasaray. Já o Benfica calhou no grupo E, com a companhia de Bayern Munique, Ajax e AEK Atenas.

Grupo A: Atlético Madrid (Espanha), Dortmund (Alemanha), Mónaco (França) e Club Brugge (Bélgica)

Grupo B: Barcelona (Espanha), Tottenham (Inglaterra), PSV (Holanda) e Inter (Itália)

Grupo C: Paris Saint-Germain (França), Nápoles (Itália), Liverpool (Inglaterra) e Estrela Vermelha (Sérvia)

Grupo D: Lokomotiv Moscovo (Rússia), FC Porto (Portugal), Schalke 04 (Alemanha) e Galatasaray (Turquia)

Grupo E: Bayern Munique (Alemanha), Benfica (Portugal), Ajax (Holanda) e AEK Atenas (Grécia)

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Grupo F: Manchester City (Inglaterra), Shakthar Donetsk (Ucrânia), Lyon (França) e Hoffenheim (Alemanha)

Grupo G: Real Madrid (Espanha), Roma (Itália), CSKA Moscovo (Rússia) e Viktoria Plzen (Rep. Checa)

Grupo H: Juventus (Itália), Manchester United (Inglaterra), Valência (Espanha) e Young Boys (Suíça)

Para além das equipas portuguesas, há outros intervenientes nacionais em ação nesta prova e, dois deles, frente a frente: o sorteio ditou duelos entre a Juventus de Cristiano Ronaldo e o Manchester United de José Mourinho.

O evento começou com a entrega do Prémio Presidente UEFA a David Beckam. “Este é um prémio que reconhece conquistas fantásticas, excelência profissional e qualidades pessoais exemplares”, referiu Aleksander Čeferin, presidente da UEFA. David Beckam retirou-se em 2013, depois de uma carreira repleta de sucesso, onde se tornou um dos mais icónicos futebolistas de sempre, dentro e fora das quatro linhas.

Luka Modric conquistou também o prémio de melhor jogador do Ano da UEFA, que distingue os melhores jogadores europeus ou não a atuar no velho continente, superando a concorrência de Salah e Ronaldo.

A derrota de Ronaldo é, para Jorge Mendes, “ridícula”. “O futebol joga-se dentro das quatro linhas e aí Cristiano Ronaldo ganhou”, considerou em declarações ao Record, relembrando que o português “marcou 15 golos, levando o Real Madrid às costas e à conquista da Champions uma vez mais”. “É, pura e simplesmente, ridículo. E em causa não está o vencedor, que é o melhor na sua posição”, disse ainda.

De seguida, foram sendo entregues os prémios relativos à última temporada da Liga dos Campeões: Keylor Navas (Real Madrid) foi eleito o melhor guarda-redes da UEFA; Sergio Ramos (Real Madrid) ganhou o prémio de melhor defesa; Modric (Real Madrid) foi considerado o melhor médio e Cristiano Ronaldo (Juventus) venceu o troféu para melhor avançado.