Em teoria, saiu a sorte grande ao FC Porto no sorteio da Liga dos Campeões, com o cabeça de série Lokomotiv Moscovo, o adversário mais apetecível para qualquer clube fora do pote um, a calhar no grupo D junto com os dragões, os alemães do Schalke 04 e os turcos do Galatasaray. O FC Porto evitou assim os tubarões europeus Real Madrid, Barcelona, Atlético Madrid, PSG, Bayern Munique (no grupo E, do Benfica), Manchester City e Juventus.

Na prática, basta recordar a última campanha do FC Porto na Liga dos Campeões para perceber que nem sempre as facilidades adivinhadas à partida se confirmam no final: num grupo com Mónaco, Besiktas e Leipzig, teoricamente o mais fácil da última edição da Champions, os dragões precisaram de suar para seguir em frente, garantindo a qualificação no segundo posto do grupo, apenas na última jornada. Ao FC Porto, voltou a sair o brinde do pote um; resta ao conjunto azul e branco garantir que os russos não se transformam em fava.

Lokomotiv Moscovo

A formação russa era o grande intruso do pote um do sorteio, posição que garantiu depois de conquistar a Liga da Rússia na temporada passada, 14 anos depois do último título conquistado. Para tal, em muito contribuiu a prestação dos internacionais portugueses Manuel Fernandes e Éder, com o herói nacional desde 2016 a ser decisivo na obtenção do troféu graças ao golo apontado na penúltima jornada que valeu a vitória por 1-0 frente ao sempre complicado Zenit e o título de campeão russo.

E foi também há 14 anos que o Lokomotiv marcou presença na Liga dos Campeões pela última vez. Em 2004, os russos ficariam num grupo com Arsenal, Inter de Milão e Dinamo Kiev e seguiriam em frente na segunda posição, deixando para trás as formações italiana e ucraniana. O percurso do Lokomotiv acabaria na fase seguinte, às mãos do Mónaco. Mónaco esse que só pararia na final da competição, onde seria derrotado pelo… FC Porto, campeão europeu com José Mourinho aos comandos.

De resto, o historial azul e branco em Moscovo é 100% vitorioso, com quatro vitórias em igual número de jogos, sendo que nenhum foi frente ao Lokomotiv, já que nunca antes as duas equipas se encontraram. Contra equipas russas, o histórico também é favorável, com apenas duas derrotas em 12 confrontos com formações daquele país.

Para atacar o regresso à Liga dos Campeões, o Lokomotiv Moscovo reforçou-se com nomes de peso, como o internacional russo Smolov (ex-Krasnodar), o defesa central alemão Howedes (ex-Schalke 04) e Krychowiak, médio polaco emprestado pelo PSG.

Schalke 04

A formação oriunda de Gelsenkirchen foi a grande surpresa do campeonato alemão na temporada passada, ao terminar no segundo posto e garantir assim a qualificação direta para a fase de grupos da Liga dos Campeões, quatro anos depois da última presença na principal prova europeia de futebol.

Foi em 2014/15 que o Schalke 04 marcou presença na Champions, numa edição de má memória para… o Sporting. Os germânicos calharam no mesmo grupo de leões, Chelsea e Maribor e acabaram por afastar a equipa portuguesa da prova, com uma vitória caseira por 4-3 (quem não se lembra da bola na cara/mão de Jonathan Silva no interior da área leonina?) a ser decisiva para as contas finais do grupo.

Mas FC Porto e Schalke 04 também já se cruzaram na Liga dos Campeões, num passado mais distante e também de má memória para a formação portuguesa. Em 2007/08, as duas equipas encontraram-se nos quartos de final da prova, com ambas as equipas a vencerem o jogo caseiro por 1-0 e a decisão a ser adiada para as grandes penalidades que, perante um Estádio do Dragão cheio, sorriram à equipa germânica numa exibição fantástica da então promessa alemã, Manuel Neuer.

Em mais de uma década, muito mudou, mas nem por isso se esperam facilidades do lado germânico. Naldo é o patrão da defesa, Bentaleb e Rudy enchem o miolo e Konoplyanka é o maior desequilibrador. Nastasic, Embolo e Franco di Santo são também nomes a ter em conta pela formação de Sérgio Conceição.

Galatasaray

O duelo com o Galatasaray promove o regresso de dois ex-FC Porto ao Dragão: Maicon e Fernando. Os dois brasileiros foram campeões nacionais ao serviço dos azuis e brancos e, depois de seguirem para outras paragens, reencontram-se agora em Istambul, onde integram um contingente turco que se sagrou campeão nacional na temporada passada.

O Galatasaray viu chegar do Inter, no mercado de verão, Nagatomo para ocupar o lado esquerdo da defesa, juntando-se aos brasileiros Maicon, Mariano e Fernando, ao marroquino Belhanda, ao argelino Feghouli ou ao internacional suíço Derdiyok no lote de ameaças a ter em conta pelo FC Porto.

Apesar de dragões e Galatasaray nunca se terem encontrado, os azuis e brancos podem ter em mente o histórico positivo nos encontros em solo turco, já que, das cinco vezes que lá jogou, nunca perdeu. E a última visita a Istambul até é recente: na temporada passada, os dragões empataram a uma bola frente ao Besiktas de Ricardo Quaresma.

A última presença do Galatasaray na Liga dos Campeões remonta a 2015/16 e conta com a participação de uma equipa portuguesa: o Benfica estava no grupo dos turcos e foi a única equipa que perdeu com a formação de Istambul, que acabou a prova com três derrotas, um empate e uma vitória.