Um grupo de quatro elefantes invadiu e destruiu lavras de populares na província angolana da Lunda Norte à procura de melhores condições para a época chuvosa que se avizinha, indicaram esta sexta-feira as autoridades locais.

Segundo o diretor da agricultura do município de Caungula, Filipe Metela, o episódio deu-se sexta-feira e sábado passados, na região de Tunguila, a cerca de 75 quilómetros da sede daquele município.

É do conhecimento de todos nós que a região do Tunguila é uma reserva do Parque Nacional de Cangandala, em que aí encontramos várias espécies. Uma das espécies mais abundantes naquela região é a de elefantes. Nos dias 24 e 25 deste mês, um grupo de quatro elefantes tentou penetrar nas lavras”, contou aquele responsável em declarações à rádio pública angolana.

Para tratar da questão, foi criada uma equipa da administração municipal, coordenada pelo diretor local da agricultura, que se deslocou ao local, tendo constatado que os mamíferos “procuravam um habitat propício para a sua sobrevivência” em época de chuvas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Os elefantes invadiram a lavra de dois populares, destruindo as culturas de mandioqueira e bananal”, referiu Filipe Metela, salientando que o apelo à população tem sido no sentido de “não disparar” contra os paquidermes. O conflito homem/animal em Angola é um fenómeno que se verifica essencialmente desde o fim da guerra no país, em 2002, com o regresso, depois de várias décadas, dos animais ao seu habitat, agora ocupado por humanos.

Ainda este mês, foi reportado um outro caso de uma manada de elefantes que devastou culturas agrícolas na localidade da Beira Alta, município de Cambambe, província angolana do Cuanza Norte, provocando pânico e fome na aldeia.