A estátua do presidente da Turquia que tinha sido erguida durante um festival de artes em Wiesbaden, na Alemanha, foi retirada pelos bombeiros devido aos protestos da população.

Com quatro metros de altura, a imagem dourada de Recep Tayyip Erdogan foi instalada na passada segunda feira numa praça no centro da cidade. O líder turco surge de pé, com o braço direito erguido, numa postura que o The Guardian compara à estátua de Saddam Hussein derrubada pelas forças norte-americana em Baghdad.

Segundo a Reuters, a imagem motivou vários protestos, com algumas dezenas de habitantes locais a manifestarem-se junto à estátua. A obra chegou a ser vandalisada, tendo sido escritas as palavras “Hitler turco” com tinta spray.

A estátua acabou por ser removida na passada quarta-feira por ordem do presidente da câmara. “Em concordância com a polícia, o presidente Sven Gerich decidiu que a estátua seja removida, uma vez que a segurança já não pode ser garantida”, foi comunicado no Twitter do governo regional.

Segundo a organização, o objetivo da integração desta obra na exposição — que tinha como tema “Más Notícias” — era induzir a população a refletir sobre o assunto. “Expusemos esta estátua com o objetivo de discutir Erdogan”, defendeu o diretor do Teatro Estatal de Wiesbaden, Uwe Eric Laufenberg, em declarações à Associated Press. “Numa democracia, devemos aceitar todas as opiniões.”

Pelo menos três milhões de pessoas com ascendência turca residem atualmente na Alemanha. Erdogan tem uma visita agendada a Berlim, a 28 e 29 de setembro, com o objetivo de melhorar as relações com o país de Angela Merkel. Os dois país mantêm uma relação tensa, tendo a Alemanha condenado e criticado a Turquia em várias ocasiões.