Há cerca de três semanas, Marta Pen era sexta classificada na final dos 1.500 metros dos Campeonatos Europeus de atletismo, realizados em Berlim, e, no final da prova, admitia faltar “a cereja no topo do bolo”. “O meu treinador [Frank Houston], disse-me antes da prova que eu consegui todos os objetivos até agora, bati todos os recordes pessoais desde os 400 aos 10.000 metros, consegui passar todos os níveis propostos, tive mais oportunidades de correr. Isso era o bolo, mas, para estar completo, falta a cereja no topo. E foi o que faltou, a cereja“, confessava, como que adivinhando o que estava para vir.

Este domingo, Marta Pen regressou a Berlim e, mais do que colocar a cereja no topo de um bolo cada vez mais condimentado, colocou-se a si mesma no topo do atletismo nacional e mundial — no prestigiado meeting ISTAF de Berlim, a atleta do Benfica correu a milha em 4.22,45 minutos e superou o recorde de Portugal obtido por Carla Sacramento a 24 de fevereiro de 2002, quando cumpriu a distância em Lévien, França, em 4.23 minutos.

A Marta Pen faltou “a cereja no topo do bolo” nos Europeus de Atletismo

Numa prova que ainda não conta para a Liga Diamante, Marta Pen Freitas bateu um recorde que durava há mais de 16 anos, mas precisou de suar para sorrir no final. Ainda que não houvesse atletas africanas em prova (as principais favoritas a vencerem na longa distância), a alemã Konstanze Klosterhalfen assumiu o controlo da corrida e, já depois de ultrapassar a bielorrussa Darya Barysevich, liderava à passagem dos 1.200 metros (3.18,18).

Aí, era o tudo ou nada para Marta Pen: a jovem de 25 anos não se intimidou com a liderança germânica e atacou o percurso, vendo Konstanze Klosterhalfen quebrar o ritmo um pouco depois para deixar a luta pela vitória na prova entregue à portuguesa e à americana Kate Grace.

Foi a benfiquista quem levou a melhor na reta final do percurso e, com clara vantagem, acabou por cruzar a meta na primeira posição (4.22,45), deixando o segundo lugar do pódio para a americana (4.23,23) e o terceiro para Konstanze Klosterhalfen (4.24,27).

Esta tem sido uma temporada em sentido ascendente para a jovem que, já este ano, terminou a licenciatura em gestão de empresas na Universidade do Mississipi, Estados Unidos da América. Em junho, em Concord (solo norte-americano), Marta Pen havia estabelecido o seu recorde pessoal na milha em 4.25,84 minutos, dando sinais de que os treinos e a preparação para esta época estavam a ter o seguimento desejado.

Já em Birmingham, a 18 de agosto, a nova recordista nacional da milha tinha superado a sua marca pessoal nos 1.500 metros, fixando o tempo em 4.03,99, depois dos sexto lugar nos Europeus.

De regresso a Berlim, surgiu a cereja no topo do bolo, o recorde nacional da milha. “Estou feliz com o meu recorde. Os Europeus não correram tão bem para mim, pelo que é fantástico voltar aqui e vencer. Acabei de me licenciar e vou voltar para os Estados Unidos e planear os próximos tempos”, explicava Marta Pen, no final da prova.

Na viagem de volta para os Estados Unidos, Marta Pen poderá ter uma companhia especial: Lebron James. O superatleta da liga de basquetebol norte-americano e mais recente estrela dos Los Angeles Lakers deslocou-se a Berlim durante dois dias para um evento juvenil de basquetebol e marcou presença no meeting de atletismo, onde assistiu à vitória da portuguesa. O regresso aos Estados Unidos está previsto para esta terça-feira.