A cadeia espanhola de supermercados Mercadona reformulou o seu plano inicial de expansão em Portugal e prevê agora abrir “oito a dez lojas” nos distritos do Porto, Braga e Aveiro, todas durante o segundo semestre de 2019. Em comunicado divulgado esta segunda-feira, a Mercadona esclarece que em agosto “o comité de direção da empresa decidiu, com base no estabelecido para esta primeira fase de internacionalização, avançar com a abertura de oito a dez lojas em Portugal no segundo semestre de 2019”, sendo que “o número final será definido em função da evolução das licenças e o avanço das obras”.

No total, está previsto um investimento de 100 milhões de euros no arranque da expansão da Mercadona em Portugal. Os planos iniciais da Mercadona previam a abertura no primeiro semestre de 2019 de quatro lojas em Portugal – em Gaia (Canidelo), Maia, Gondomar e Matosinhos — a que se seguiria (em data não definida) a inauguração de mais cinco lojas no Porto, Braga, Penafiel, Barcelos e de uma segunda loja em Gaia.

Segundo a cadeia espanhola, “com o objetivo de garantir a preparação da entrada no país e a abertura destas lojas em 2019, a empresa prevê criar cerca de 300 postos de trabalho que, somados aos 200 já existentes, totalizam 500 colaboradores em Portugal”.

A entrada da Mercadona em Portugal arrancou com a criação da sociedade Irmãdona Supermercados, sediada no Porto, e onde se situam os escritórios centrais, além dos existentes também em Lisboa. Entretanto, iniciou também atividade o Centro de Coinovação construído em Matosinhos, apresentando como “um macro laboratório de ideias de 1.000 metros quadrados que ajuda a equipa da Mercadona a definir, junto dos clientes portugueses, o sortido de produtos em Portugal, totalmente adaptado às necessidades deste mercado”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em construção está ainda um bloco logístico na Póvoa de Varzim, em duas parcelas com uma área total de 50.000 metros quadrados, que “servirá para o desenvolvimento da atividade logística em Portugal”.

“Todos estes factos confirmam que Portugal é uma grande oportunidade para iniciar o crescimento internacional da empresa e estamos muito entusiasmados com a decisão e o desafio de um projeto com o qual estamos muito comprometidos”, sustenta o presidente da empresa, Juan Roig, citado no comunicado.